O que é dislexia e como tratar seus sintomas de maneira adequada

O que é dislexia e como tratar seus sintomas de maneira adequada

Albert Einstein, Leonardo da Vinci, Pablo Picasso e Steven Spielberg, sabe o que todos eles têm em comum? Eram portadores da dislexia, mas você sabe o que é isso? Hoje vamos falar mais sobre essa condição, seus sintomas, diagnóstico e tratamentos.

O que é dislexia

A dislexia não é uma doença! A palavra dislexia vem da língua grega e significa dificuldade com as palavras. A dislexia é uma deficiência de aprendizagem específica que é de origem neurobiológica. Ela é caracterizada por dificuldades com reconhecimento exato e/ou fluente de palavras e por habilidades de decodificação e de decodificação.

Essas dificuldades geralmente resultam de um déficit no componente fonológico da linguagem, outras consequências secundárias podem incluir problemas na compreensão de leitura e experiência de leitura reduzida que podem impedir o crescimento do vocabulário e conhecimento.

A dislexia é a dificuldade de aprendizagem mais comum em crianças e persiste ao longo da vida. A gravidade da dislexia pode variar de leve a grave. Quanto mais cedo é tratada, mais favorável é o resultado. No entanto, nunca é tarde demais para pessoas com dislexia aprender a melhorar suas habilidades linguísticas.

A dislexia pode não ser detectada nos primeiros graus da escolaridade. As crianças podem ficar frustradas pela dificuldade em aprender a ler. É importante notar que outros problemas podem disfarçar a dislexia, uma criança pode apresentar sinais de depressão e baixa autoestima, ter problemas de comportamento em casa, bem como na escola e tornar-se desmotivado e desenvolver uma aversão pela escola.

Causas da dislexia

A dislexia ocorre em famílias. Os pais com dislexia são muito propensos a terem crianças com dislexia. Para algumas pessoas, sua dislexia é identificada no início de suas vidas, mas para outras, pode não ser identificada e pode causar grande dificuldade e perda de potencial.

Acredita-se que esse problema seja causado por deficiência na capacidade do cérebro para processar os fonemas (as unidades de fala mais pequenas que fazem palavras diferentes umas das outras). Isso não resulta de problemas de visão ou audição. Não é devido ao atraso mental, ao dano cerebral ou à falta de inteligência.

As causas da dislexia variam com o tipo. Na dislexia primária, muitas pesquisas se concentram nos fatores hereditários. Os pesquisadores identificaram recentemente genes específicos identificados como possivelmente contribuírem para os sinais e sintomas da dislexia.

Dislexia sintomas

Os professores de sala de aula podem não serem capazes de determinar se uma criança tem dislexia. Eles podem detectar sinais iniciais que sugerem uma avaliação adicional por um psicólogo ou outro profissional de saúde para realmente diagnosticar o transtorno.

Sinais e sintomas de dislexia incluem:

  • – Desenvolvimento de linguagem inicial atrasada
  • – Problemas para reconhecer as diferenças entre sons semelhantes ou palavras
  • – Aprendizagem lenta de novas palavras de vocabulário
  • – Dificuldade em copiar do quadro ou de um livro
  • – Dificuldade para aprender habilidades de leitura, escrita e ortografia
  • – A criança pode não conseguir lembrar o conteúdo, mesmo que envolva um vídeo favorito ou livro de contos
  • – A criança pode parecer não coordenada e ter dificuldade com esportes e brincadeiras
  • – Muitas vezes o domínio de ambas as mãos não foi estabelecido e a criança não tem facilidade tanto com a mão direita como na esquerda
  • – Comumente, uma criança pode ter dificuldade em lembrar ou entender o que ouve
  • – Crianças que lutam com esse problema podem saber o que querem dizer, mas têm problemas para encontrar as palavras reais para expressar seus pensamentos
  • – As crianças podem parecer deprimidas
  • – Podem surgir problemas com a auto-estima, e as interações entre irmãos podem se tornar tensas
  • – As crianças podem perder seu interesse em atividades relacionadas à escola e parecerem desmotivadas ou preguiçosas

Teste de dislexia

A dislexia é uma dificuldade difícil de diagnosticar. Existem muitos fatores que o psicólogo ou outro profissional da saúde analisa para diagnosticar a deficiência. Os testes de dislexia determinam o nível de leitura funcional da criança e o compara ao potencial de leitura, que é avaliado por um teste de inteligência. Todos os aspectos do processo de leitura são examinados para identificar onde a degradação está ocorrendo. Os testes avaliam ainda mais como uma criança recebe e processa informações e o que a criança faz com a informação. Os testes determinam se uma criança aprende melhor informações auditivas (auditivas), olhando informações (visuais) ou fazendo alguma coisa (cinestésica).

Os testes administrados são padronizados e são considerados altamente confiáveis. Muitos dos testes usam um formato de tipo de jogo ou enigma que pode ajudar a tornar a criança mais confortável.

As crianças devem ter uma boa noite de sono antes do teste e tomarem um bom café da manhã. Com crianças pequenas, o psicólogo pode visitar a sala de aula da mesma antes do teste para que a criança esteja familiarizada com ele.

Dislexia tem cura

Não há cura para a dislexia, uma vez que é um problema neurobiológico. O prognóstico para crianças com dislexia é variável e depende da causa. No caso da dislexia primária, quanto mais cedo o diagnóstico é feito e a intervenção iniciada, melhor será o resultado. Também é importante focar a autoestima da criança, já que lidar com a dislexia pode ser extremamente frustrante.

Tratamento para dislexia

Antes de iniciar qualquer tratamento, uma avaliação deve ser feita para determinar a área específica de deficiência da criança. A escola deverá desenvolver um plano com os pais para atender às necessidades da criança. O plano pode ser implementado em um ambiente de educação especial ou na sala de aula regular.

Um plano de tratamento apropriado incidirá no fortalecimento das fraquezas da criança enquanto se utiliza os pontos fortes. Uma abordagem direta pode incluir um estudo sistemático de fonética. Técnicas desenhadas para ajudar todos os sentidos a funcionar de forma eficiente também podem ser usadas. Os computadores são ferramentas poderosas para essas crianças e devem ser utilizados tanto quanto possível. A criança deve ser ensinada com habilidades de compensação e enfrentamento.

Além do que a escola tem para oferecer, existem opções de tratamento disponíveis fora da escola. Embora os tratamentos alternativos sejam comumente recomendados, há pesquisas limitadas que apoiem a eficácia desses tratamentos. Além disso, muitos desses tratamentos são muito caros.

A maioria das pessoas com dislexia precisam de ajuda de um professor, tutor ou terapeuta especialmente treinado para usar uma abordagem linguística multisensorial e estruturada. É importante que esses indivíduos sejam ensinados por um método sistemático e explícito que envolva vários sentidos (audição, visão e toque) ao mesmo tempo.

Muitas pessoas com dislexia precisam de ajuda individual para que possam avançar a seu ritmo. Além disso, os alunos com dislexia muitas vezes precisam de uma grande prática estruturada e feedback imediato e corretivo para desenvolver habilidades de reconhecimento automático de palavras.

Pessoas com esta condição também podem precisar de ajuda com problemas emocionais que às vezes surgem como consequência de dificuldades na escola. Especialistas em saúde mental podem ajudar os alunos a lidar com esses problemas.

Mais informações

É importante consultar o seu pediatra se estiver preocupado com o desenvolvimento do seu filho. Além disso, conhecer os professores dele também é um passo importante para obter mais respostas e diagnosticar corretamente a dislexia para que o tratamento possa ser iniciado o quanto antes.

Este artigo te ajudou?
  • +2 curtiram
  • 0 não curtiram