Conheça o Levofloxacino – Bula, contra-indicações e seus efeitos secundários

Conheça o Levofloxacino – Bula, contra-indicações e seus efeitos secundários

Um antibiótico poderoso, o Levofloxacino é indicado para o tratamento de infecções causadas por bactérias sensíveis ao levofloxacino como:

  • – Infecções do trato respiratório superior e inferior, incluindo sinusite, exacerbações agudas de bronquite crônica e pneumonia.
  • – Infecções da pele e tecido subcutâneo, complicadas e não complicadas, tais como impetigo, abscessos, furunculose, celulite e erisipela.
  • – Infecções do trato urinário, incluindo pielonefrite aguda.
  • – Osteomielite.

Levofloxacino bula

Cada comprimido revestido de 250 mg contém:

  • – levofloxacino hemiidratado …………………………………………………………………. 256,23 mg (equivalente a 250 mg de levofloxacino anidro)
  • – excipientes q.s.p. ……………………………………………………………..1 comprimido revestido
  • – (lactose monoidratada, povidona, amidoglicolato de sódio, talco, dióxido de silício, croscarmelose sódica, glicerol dibehenato, hipromelose, hiprolose, macrogol, óxido de ferro amarelo, óxido de ferro vermelho, dióxido de titânio)

Cada comprimido revestido de 500 mg contém:

  • – levofloxacino hemiidratado ………………………………………………………………….512,46 mg (equivalente a 500 mg de levofloxacino anidro)
  • – *excipientes q.s.p. …………………………………………………………….1 comprimido revestido
  • (lactose monoidratada, povidona, amidoglicolato de sódio, talco, dióxido de silício, croscarmelose sódica, glicerol dibehenato, hipromelose, hiprolose, macrogol, óxido de ferro amarelo, óxido de ferro vermelho, dióxido de titânio)

Levofloxacino posologia

O medicamento pode ser administrado 1 ou 2 vezes por dia. A dose depende da severidade e do tipo da infecção e da sensibilidade do patógeno.

A duração do tratamento varia de acordo com o resultado clínico, com o período máximo de 14 dias.

Assim como acontece com outros antibióticos, o tratamento com levofloxacino deve ser continuado por um período mínimo de 48 a 72 horas após a febre ceder e quando há evidência de erradicação do patógeno.

Pode-se modificar o tratamento, de intravenoso inicial para tratamento por via oral após alguns dias, de acordo com as condições de seu usuário.

Como o Levofloxacino funciona?

Conheça o Levofloxacino – Bula, contra-indicações e seus efeitos secundários

A ação do levofloxacino envolve a inibição do complexo DNA-girase, enzima necessária à transcrição, restauração, recombinação e replicação do DNA.

Contra-indicações de Levofloxacino

Você não deve utilizar o levofloxacino caso:

  • – tenha hipersensibilidade ao levofloxacino, a outras quinolonas ou a quaisquer outros componentes da fórmula
  • – possua epilepsia
  • – tenha histórico de problemas no tendão relacionadas à administração de fluoroquinolona
  • – seja criança ou adolescente
  • – esteja grávida ou amamentando.

O uso em crianças e adolescentes, durante a gravidez e em mulheres lactantes é contraindicado devido ao risco de danos causados na cartilagem de organismos em crescimento, o que não pode ser excluído completamente.

Interação com outros medicamentos

Conheça o Levofloxacino – Bula, contra-indicações e seus efeitos secundários

  • • Ao utilizar comprimidos de lebofloxacino e antiácidos contendo magnésio, alumínio ou cálcio, bem como cátions metálicos, sucralfato como ferro, multivitamínicos contendo zinco ou produtos que contenham qualquer uma dessas substâncias, podem interferir na absorção do levofloxacino. Esses agentes devem ser consumidos pelo menos duas horas antes ou depois da administração do levofloxacino.
  • • Utilizar levofloxacino e teofilina pode estender à meia-vida desta última, aumentar os níveis de teofilina no soro e elevar o risco de reações secundárias relacionadas à teofilina. Por isso os níveis de teofilina devem ser cuidadosamente monitorados e os ajustes necessários devem ser feitos, se for preciso, quando o levofloxacino for administrado em conjunto.
    Podem ocorrer reações adversar, incluindo convulsões com ou sem a elevação do nível de teofilina no soro.
  • • Usar levofloxacino com digoxina ou a ciclosporina não exige modificação das doses de nenhum dos medicamentos. Porém os níveis de digoxina devem ser monitorados cuidadosamente caso você esteja fazendo tratamento concomitante com a digoxina.
  • • Certos derivados quinolônicos, como o levofloxacino, podem elevar os efeitos do anticoagulante varfarina ou de seus derivados. Quando estas substâncias forem administradas ao mesmo tempo, o tempo de protrombina ou outros testes de coagulação aceitáveis devem ser monitorados principalmente em pacientes idosos.
  • •O levofloxacino pode ser utilizado com segurança nos tratamentos de pacientes concomitante com probenecida ou cimetidina, desde que a dose do levofloxacino seja adequadamente ajustada com base na sua função renal uma vez que a probenecida e a cimetidina diminuem a depuração renal e prolongam à meia-vida do levofloxacino.
  • • O uso de medicamentos antiinflamatórios não esteroides e de derivados quinolônicos, incluindo o levofloxacino pode aumentar o risco de estimulação de convulsões e do sistema nervoso central.
  • • Níveis alterados de glicose, incluindo hiperglicemia (aumento) e hipoglicemia (diminuição), foram relatados em pacientes tratados concomitantemente com quinolonas e agentes antidiabéticos.
    Por isso monitorar a glicose sanguínea é de suma importância quando esses agentes forem administrados em conjunto.
  • • A biodisponibilidade e a absorção do levofloxacino em pessoas infectadas com o HIV, com ou sem tratamento concomitante com zidovudina, foram similares.
    Neste caso, não parece necessário realizar ajustes de dose do levofloxacino quando estiver sendo administrado simultaneamente com a zidovudina.
    Os efeitos do levofloxacino sobre a farmacocinética da zidovudina não foram avaliados.
  • •O levofloxacino pode produzir resultado falso positivo para opioides em exames de urina realizados em kit de imunoensaio comercialmente disponíveis. Dependendo da situação, pode ser necessário confirmar a presença de opioides com métodos mais específicos.

Quais efeitos secundários o levofloxacino pode causar?

Diarreia, náuseas e vaginite podem aparecer. Nesse caso contate seu médico caso um ou mais dos efeitos secundários acontecer.

Embora com menos frequência, também pode ocorrer flatulência, erupção na pele e coceira, dor abdominal, tontura e insônia.

Superdosagem de levofloxacino

Conheça o Levofloxacino – Bula, contra-indicações e seus efeitos secundários

os sinais mais importantes após a superdosagem com levofloxacino são sintomas no Sistema Nervoso Central como vertigens, confusão, alterações de consciência e convulsões, assim como reações gastrintestinais tais como erosões da mucosa e náuseas.

Na ocorrência de ingestão de superdosagem de levofloxacino, pode-se considerar o esvaziamento gástrico e proceder o tratamento sintomático. Pode-se utilizar antiácidos para a proteção da mucosa gástrica.

O levofloxacino não é removido através de hemodiálise ou diálise peritoneal de maneira efetiva. Não existe antídoto específico.

O que fazer em caso de esquecimento da dose de levofloxacino?

O indicado nesse caso é você pular a dose e somente tomar a dose seguinte. Em hipótese alguma dobre a dose recomendada pelo seu médico.

Mais informações

Reações anafiláticas do fármaco podem aparecer de forma simples a fatal. Qualquer indício de que o corpo não aceita o remédio será notado logo na primeira dose.

Os sintomas de que algo não está bem são:

  • – Colapso cardiovascular
  • – Hipotensão / choque
  • – Queda da pressão
  • – Convulsões
  • – Formigamento
  • – Perda da consciência
  • – Obstrução das vias aéreas
  • – Falta de ar
  • – Coceiras, urticarias e outras reações de pele.

Aos sinais de qualquer um dos casos descritos interrompa o tratamento.

Este artigo te ajudou?
  • 0 curtiram
  • 0 não curtiram