Vitamina E: fontes, carência e funções no organismo

Rudney Dicas Saúde 30-11-15 alimentos ricos em vitamina e, vitamina E, vitamina e para que serve comentários

A vitamina E, também conhecida como tocoferol, é um potente antioxidante. Isso significa que protege o tecido do corpo contra danos causados ​​por substâncias chamadas radicais livres que podem danificar as células, tecidos e órgãos. Também desempenha um papel importante em certas condições associadas com o envelhecimento.

O corpo também precisa de vitamina E para ajudar a manter um forte sistema imunológico contra vírus e bactérias. A vitamina E é também importante para a formação de células vermelhas do sangue e ajuda na utilização da vitamina K pelo corpo. Ela também ajuda a dilatar os vasos sanguíneos e prevenir a coagulação sanguínea dentro deles.

As células usam a vitamina E para interagir e realizar muitas funções importantes. Ela também tem função significativa na formação de músculos e tecidos.

Além disso, a vitamina E está relacionada com a formação de células masculinas. Sua ação antioxidante ajuda a produzir espermatozoides. Também assegura o bom funcionamento da placenta.

Benefícios da vitamina E

Antioxidante

A vitamina E é um antioxidante natural que reage contra os radicais livres solúveis. Assim, ajuda a manter a integridade e proteção das células, na presença de compostos tóxicos, metais pesados ​​(prata, mercúrio, chumbo), drogas e radiação.

Sistema imunológico

Essa vitamina desempenha um papel importante na manutenção do sistema imunitário saudável, especialmente durante o estresse oxidativo e doenças virais crônicas. Além disso, induz a proliferação de células de defesa e aumenta a resposta celular a danos ou infecção.

Saúde dos olhos

Acredita-se que a vitamina E, entre outros antioxidantes podem prevenir ou retardar a formação de cataratas. Mais estudos ainda são necessários para assegurar a participação da vitamina E sobre este ponto.

Envelhecimento

Ela protege o organismo contra os efeitos do envelhecimento, eliminando os radicais livres que causam a degeneração dos tecidos, tais como a pele e os vasos sanguíneos. Também protege contra os efeitos mentais do envelhecimento e perda de memória.

Sistema nervoso

A vitamina E é essencial para manter a integridade e estabilidade da membrana axonal (membrana dos neurônios).

Sistema cardiovascular

Previne a formação de trombos, que dificultam a circulação nos vasos sanguíneos. Alguns estudos sugerem que pode ajudar a evitar ou diminuir o risco de sofrer um ataque cardíaco, angina ou acidente vascular cerebral. São necessárias mais provas para determinar se a suplementação de vitamina E oferece esses benefícios.

Cicatrizante

A vitamina E é importante na formação de fibras elásticas e de tecido conjuntivo de colágeno. Ela promove a cicatrização de queimaduras.

Fertilidade e sistema reprodutivo

Alguns estudos em animais indicam que a vitamina E é essencial para uma reprodução normal, em várias espécies de mamíferos. Com base nesses estudos com animais, a vitamina E tem sido usada clinicamente para tratar o aborto recorrente e infertilidade de ambos os sexos. Por isso, também tem sido usada na toxemia gravídica, distúrbios menstruais, vaginite e sintomas da menopausa. Ainda assim, não há evidências suficientes para provar todos os benefícios acima mencionados.

Doença de Alzheimer

Há alguma evidência de que a vitamina E pode ajudar no tratamento de alguns tipos de demência, como doença de Alzheimer. Uma vez que os investigadores acreditam o estresse oxidativo contribui para o desenvolvimento dessa doença e, os antioxidantes como a vitamina E podem, teoricamente, reduzir o risco ou a progressão desta doença.

Estudos clínicos têm sugerido que a suplementação de vitamina E melhora o desempenho cognitivo em pessoas saudáveis ​​e em pessoas sem demência causada pelo Alzheimer (p. Ex., Vários acidentes vasculares cerebrais).

Câncer

Acredita-se que a vitamina E ajuda a proteger as membranas celulares contra danos produzidos por radicais livres, o que pode levar a doenças crônicas tais como o câncer.

Fontes de vitamina E

Os alimentos ricos em vitamina E são:

– Óleos vegetais (tais como óleo de gérmen de trigo, girassol, cártamo, milho e soja).
– Frutas secas (como amêndoas, amendoins e avelãs).
– Sementes (como sementes de girassol).
– Vegetais de folhas verdes (como espinafre e brócolis).
– Alimentos enriquecidos ou fortificados com essa vitamina. Procure nas informações nutricionais no rótulo dos alimentos.

Ingestão diária recomendada

A ingestão diária recomendada (IDR) de vitaminas se refere a dose diária de cada vitamina devemos obter, o que varia dependendo da idade e sexo. Outros fatores, tais como a gravidez, lactação e doenças podem aumentar a quantidade necessária.

A ingestão de vitamina E recomendada para indivíduos pelo Comitê de Nutrição e Alimentos do Instituto de Medicina (Food and Nutrition Board at the Institute of Medicine):

Crianças

– 1-3 anos: 6 mg/dia
– 4 a 8 anos: 7 mg/dia
– 9 aos 13 anos: 11 mg/dia

Adolescentes e adultos

– 14 e mais velhos: 15 mg/dia

– Mulheres grávidas: 15 mg/dia

– Mulheres em lactação: 19 mg/dia

– Pergunte ao seu prestador de cuidados de saúde que quantidade é melhor para você.

Falta de vitamina E

A deficiência dessa substância no organismo pode causar anemia, perda de fertilidade e distrofia muscular. Além disso, há casos de deficiência que terminaram em distúrbios neurológicos.

Muitas vezes, a deficiência pode ser dada por uma alteração na absorção dessa vitamina pelo intestino e não um baixo consumo de alimentos. Nestes casos, é necessário para consultar um especialista para determinar a causa da deficiência.

Outros sintomas de deficiência de vitamina E incluem:

– Irritabilidade
– Retenção de líquidos
Anemia hemolítica (destruição de células vermelhas do sangue)
– Afecções oculares
– Danos no sistema nervoso
– Dificuldade em manter o equilíbrio
– Cansaço, apatia
– Incapacidade de se concentrar
– Dificuldade em andar
– Diminuição da resposta imune

Alguns estudos sugerem que a baixa ingestão de vitamina E parece aumentar o risco de doença cardiovascular.

Precauções e advertências

Consumir essa vitamina na dieta, através dos alimentos com vitamina E dificilmente pode trazer riscos à saúde. A vitamina E é provavelmente mais segura para as pessoas saudáveis ​​quando consumida por via oral ou aplicada à pele.

– Altas doses de vitamina E pode causar náuseas, diarreia, dor de estômago, fadiga, fraqueza, dor de cabeça, visão turva, coceira, sangramento e hematomas.
– É provavelmente segura para mulheres grávidas e lactantes. Fale com o seu médico de qualquer maneira.
– A vitamina E pode agravar problemas de sangramento em pessoas cujos níveis de vitamina K são muito baixos.
– A vitamina E pode piorar doenças hemorrágicas.
– Pare de tomar a vitamina E, pelo menos, duas semanas antes de se submeter a um procedimento cirúrgico.
– Altos níveis de vitamina E podem também aumentar o risco de defeitos de nascimento.

Mais informações

Alguns benefícios dessa vitamina ainda precisam ser estudados para sua total comprovação, porém algumas pesquisas apresentaram bons resultados. Antes de tomar qualquer suplemento vitamínico é importante consultar um médico.

Este Post te ajudou?
  
    Deixe sua opinião:
    Posts Relacionados: