Quais os sintomas e tratamentos da doença de Chagas

Quais os sintomas e tratamentos da doença de Chagas

A doença de Chagas, também chamada de mal de chagas, chaguismo, tripanossomíase americana, é conhecida assim devido a seu descobridor, Carlos Chagas, um médico brasileiro indicado quatro vezes ao Prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia.

É uma doença comum em países da América do Sul, América Central e no México, e pode afetar qualquer pessoa. Vamos conhecer mais sobre doença de Chagas, seus sintomas e tratamentos.

O que é doença de Chagas

A doença de Chagas é uma infecção causada por um parasita protozoário (Trypanosoma cruzi) que pode resultar em alterações inflamatórias agudas da pele (chagomas) e pode eventualmente causar infecção e inflamação de muitos outros tecidos corporais, especialmente aqueles do coração e do trato intestinal.

A doença pode ter três fases em um indivíduo: aguda, fase intermediária ou indeterminada que apresenta poucos sintomas ou pode durar de 10 a 20 anos ou mais, e fase crônica que aparece após cerca de 20 anos, com os sintomas mais graves que causam danos graduais de órgãos (especialmente para o coração e intestino, embora outros órgãos possam ser afetados) com sintomas que geralmente permanecem para o resto da vida.

O Brasil, em 2006, recebeu o certificado internacional de interrupção da transmissão da doença, que só foi possível devido a ações muito bem sucedidas de controle da doença, que começaram desde 1975, quando a doença de Chagas causava uma epidemia que afetava 2.200 municípios em 18 estados brasileiros.

Atualmente, o contágio da doença não ocorre mais pelo contato direto com o parasita, mas sim pelo contato indireto, que pode ocorrer ao comer alimentos contaminados com fezes do parasita ou por insetos que carregam esse parasita.

Ciclo da doença de Chagas

A infecção ou clico da doença em seres humanos ocorre quando um vetor de inseto (principalmente o barbeiro) deposita fezes que contém os parasitas na pele humana. Os parasitas entram no hospedeiro (humano) através da picada de insetos, fissuras na pele ou pela conjuntiva. Ocasionalmente, os parasitas entram através de células mucosas da boca ou via aérea quando ingeridas ou inaladas.

Os insetos geralmente mordem e/ou depositam fezes perto dos olhos e dos lábios. Quando os parasitas entram na pele, o inchaço e vermelhidão (denominado um chagoma) geralmente se desenvolve. Em alguns indivíduos, os parasitas eventualmente entram na corrente sanguínea e se hospedam em vários órgãos, especialmente a estrutura muscular dos órgãos. Os parasitas se multiplicam e eventualmente causam sintomas crônicos relacionados ao órgão ou órgãos envolvidos em particular, que podem incluir insuficiência cardíaca, arritmias, motilidade gastrointestinal ou morte.

Sintomas da doença de Chagas

Os sintomas e sinais da doença de Chagas podem ser bastantes variáveis, podendo ser graves ou até mesmo não ocorrerem. Os primeiros sintomas e sinais, quando presentes na fase aguda da doença, podem incluir alguns dos seguintes:

  • – Inchaço e/ou vermelhidão no local da infecção da pele (denominado chagoma)
  • – Erupção cutânea
  • – Nódulos linfáticos inchados
  • – Febre
  • – Dores de cabeça e dores no corpo
  • – Fadiga
  • – Náuseas, vômitos e/ou diarreia
  • – Desconforto abdominal ou dor
  • – Ampliação do fígado e/ou baço
  • – Inchaço de tecidos ao redor do olho
  • – Mudanças sugestivas de miocardite e/ou arritmias
  • – Dores musculares

Os sintomas da fase aguda, geralmente, duram cerca de três a oito semanas. A maioria dos pesquisadores sugere que a fase intermediária ou indeterminada não apresenta sintomas. Este estágio pode durar durante toda a vida da pessoa, e os indivíduos podem nunca saber que têm doença de Chagas, especialmente se tiveram sintomas leves ou não tiveram sintomas na fase aguda.

No entanto, este estágio pode durar cerca de 10 a 20 anos em alguns pacientes antes que os sintomas crônicos se desenvolvam em cerca de 10% a 30% das pessoas infectadas. Alguns pesquisadores comparam a fase crônica da doença de Chagas com o HIV/AIDS. Considerando que o HIV/AIDS ataca lentamente o sistema imunológico, a doença de Chagas ataca lentamente o coração e os tecidos do trato gastrointestinal. Outros pesquisadores consideram essa comparação como publicidade ou injustificada para destacar a doença de Chagas.

Os sintomas da doença de Chagas na fase crônica variam de acordo com os órgãos mais afetados. Na maioria dos casos, o coração ou o trato gastrointestinal (ou ambos) mostram os sintomas mais graves. Os sintomas crônicos da doença de Chagas podem incluir os seguintes:

  • – Batimentos cardíacos irregulares
  • – Palpitações (sensações anormais do batimento cardíaco)
  • – Desmaio (síncope)
  • – Cardiomiopatia (doença crônica do músculo cardíaco)
  • – Insuficiência cardíaca congestiva (coração dilatado)
  • – Falta de ar (dispneia)
  • – Enfisema
  • – Acidente vascular encefálico
  • – Morte súbita
  • – Dor abdominal crônica
  • – Constipação crônica
  • – Esôfago dilatado e/ou cólon
  • – Dificuldade em engolir

Estes sintomas são devidos a danos nos órgãos causados ​​pela presença persistente de parasitas nos tecidos dos mesmos. A infecção crônica desenvolve-se à medida que o corpo reage aos parasitas. Isso afeta as células nervosas ou neurônios nesses tecidos, causando alterações de condução elétrica no coração (arritmias) e fracos movimentos musculares nos intestinos.

Fatores de risco para a doença de Chagas

Viver em uma área onde os insetos vetores, como o barbeiro, que espalham a doença são abundantes é um importante fator de risco para a doença de Chagas. Tais áreas são geralmente empobrecidas no México e na América Central e do Sul. Qualquer residência infestada com esses vetores é uma área de alto risco.

Eliminar as áreas onde residem os vetores reduz o risco. Outro fator de risco é a obtenção de uma transfusão de sangue, especialmente em uma região endêmica, se os doadores de sangue não forem examinados para a doença de Chagas. Esse risco também ocorre para receptores de órgãos doados. Os pacientes imunocomprometidos têm maior risco de desenvolvimento da doença e algumas mulheres infectadas com Chagas crônicas (até 10%) podem transmitir os parasitas aos recém-nascidos (doença de Chagas congênita).

Como é transmitida a doença de Chagas

A doença de Chagas não é considerada contagiosa de pessoa para pessoa. O parasita quase sempre requer um vetor como o inseto triatomíneo para se transferir para humanos. Esse parasita pode ser encontrado nas fezes de animais, principalmente de um inseto conhecido como barbeiro.

A contaminação pode ocorrer também através do consumo de alimentos crus contaminados por fezes do parasita, do contato direto com o parasita e com outros animais que estejam infectados.

Além disso, o T. cruzi pode ser transferido para humanos a partir de transfusões de sangue, transplante de órgãos, de mãe para criança através da placenta, por ingestão, inalação e por acidentes laboratoriais. Felizmente, essas formas de transmissão ocorrem muito raramente.

Doença de Chagas tem cura

A cura da doença de Chagas depende do estágio e sintomas que encontram os pacientes. Na fase aguda, quando o tratamento é feito corretamente, é possível se livrar facilmente da doença. Agora, caso a infecção chegue ao estágio crônico, os sintomas podem ser severos e afetarem definitivamente a saúde de uma pessoa, sendo necessário um transplante de um órgão ou até mesmo podendo causar a morte.

Doença de Chagas tratamento

O tratamento para a doença de Chagas geralmente depende da fase da doença e da idade do paciente. O tratamento da fase aguda consiste em matar o parasita T. cruzi com medicamentos antiparasitários para eliminar ou reduzir o número de parasitas no corpo. Recomenda-se o tratamento medicamentoso para todas as pessoas diagnosticadas com doença de Chagas, principalmente para aqueles com sistema imunológico fraco.

Durante a fase intermediária ou indeterminada, a grande maioria dos pacientes adultos não obtém tratamentos antiparasitários. No entanto, crianças nesta fase da doença devem continuar a terapia medicamentosa.

O tratamento na fase crônica em adultos não funciona somente com medicamentos, mas eles podem ser usados, principalmente por idosos para evitar que a doença progrida. Neste caso, outros medicamentos ou tratamentos devem ser feitos dependendo dos sintomas do paciente, que podem estar afetando seu coração ou sistema digestivo.

A colocação do marcapasso ou mesmo o transplante cardíaco pode salva a vida de alguns pacientes que desenvolvem arritmias ou cardiomiopatia. A ressecção cirúrgica do trato gastrointestinal pode ajudar a aliviar alguns problemas gastrointestinais. Além disso, existem muitos medicamentos específicos disponíveis para tratar arritmias e outros problemas intestinais que podem ser observados na doença de Chagas crônica.

Complicações da doença de Chagas

A maioria das complicações que se desenvolvem com a doença de Chagas são observadas na fase crônica da doença. A maioria das complicações estão relacionadas a alterações musculares (atrofia muscular, fibrose e inflamação) causadas pelos parasitas em dois órgãos do corpo, o coração e o trato gastrointestinal. Consequentemente, insuficiência cardíaca e aumento do esôfago e do cólon (megaesôfago e megacólon) são complicações graves da doença de Chagas. Essas mudanças podem resultar em fraqueza, dificuldade de deglutição, dor abdominal e morte.

Mais informações

Apesar de não ser comum, a doença de Chagas pode ser muito perigosa, especialmente na fase crônica, onde pode levar a sequelas graves e a morte. Se você esteve ou mora em um lugar onde o contágio dessa doença é mais comum e apresenta sintomas característicos, não hesite em procurar um médico.

Este artigo te ajudou?
  • +4 curtiram
  • -2 não curtiram