O que é o herpes e como tratá-lo em diferentes áreas do corpo

O que é o herpes e como tratá-lo em diferentes áreas do corpo

Herpes simples, também chamado apenas de herpes ou HSV, é uma infecção viral. O herpes pode aparecer em várias partes do corpo, mais comumente nos órgãos genitais ou na boca. Existem dois tipos de vírus herpes simples: o HSV-1, também conhecido como herpes oral, que pode causar feridas e bolhas ao redor da boca e no rosto, e o HSV-2 que é geralmente responsável por surtos de herpes genital.

Herpes simples

O vírus do herpes simples é um vírus contagioso que pode ser passado de pessoa para pessoa através do contato direto. As crianças frequentemente contrairão o HSV-1 a partir do contato precoce com um adulto infectado. Elas então carregam o vírus pelo resto de sua vida.

A infecção por HSV-1 pode ocorrer a partir de interações gerais, como comer e beber nos mesmos utensílios ou beijar uma pessoa infectada. O vírus se espalha mais rapidamente quando uma pessoa infectada está enfrentando um surto. Além disso, é possível obter herpes genital HSV-1, se o indivíduo teve feridas e realizou atividades sexuais durante esse tempo.

A infecção por HSV-2 é contraída através de formas de contato sexual com uma pessoa que tem HSV-2. Pode haver ainda a infecção cruzada, onde a pessoa contraí o vírus tipo 1 e 2, através do contato oral-genital. Ou seja, pode-se pegar herpes genital na boca ou herpes oral na área genital.

Estima-se que em torno de 90% das pessoas tiveram ou terão contato com o HSV-1 e cerca de 20% com o HSV-2.

Fatores de risco

Qualquer pessoa pode ser infectada com pelo herpes, independentemente da idade e sexo. Seu risco é determinado quase inteiramente com base na exposição à infecção.

Nos casos da herpes transmitida sexualmente, as pessoas estão em maior risco quando participam em comportamentos sexuais de risco sem o uso de proteção, como preservativos. Outros fatores de risco para o HSV-2 incluem:

– Ter múltiplos parceiros sexuais.
– Ser do sexo feminino.
– Ter outra infecção sexualmente transmissível (IST).
– Ter um sistema imunológico enfraquecido.
– Se uma mãe está tendo um surto de herpes genital no momento do parto, pode expor o bebê a ambos os tipos de HSV, e pode colocá-lo em risco de complicações graves.

Sintomas do herpes

É importante entender que, embora alguém possa não ter feridas ou sintomas visíveis, eles ainda possam estar infectados pelo vírus e podem transmiti-lo para outras pessoas. Alguns dos sintomas associados a este vírus incluem:

– Bolhas ou feridas (na boca ou nos genitais).
– Dor durante a micção (herpes genital).
– Coceira.

Além disso, você pode experimentar muitos sintomas que são semelhantes à gripe. Estes sintomas podem incluir febre, inchaço dos gânglios linfáticos, dores de cabeça, cansaço e falta de apetite. O herpes também pode se espalhar para os olhos, causando uma condição chamada queratite herpética. Isso pode causar sintomas como dor nos olhos, descarga de secreção e desconforto no olho.

Os sintomas para um bebê nascido com herpes (transmitida através de um parto normal) podem incluir úlceras na face, corpo e órgãos genitais. Bebês que nascem com herpes genital podem desenvolver complicações muito graves, podendo causar a morte. Evite beijar recém-nascidos se você está com um surto de herpes.

Diagnóstico

Este tipo de vírus geralmente é diagnosticado com um exame físico. Seu médico pode verificar seu corpo para procurar feridas e perguntar sobre alguns de seus sintomas atuais. Também pode solicitar o teste de HSV para confirmar o diagnóstico se você tem feridas em seus genitais. Durante este teste, o seu médico irá retirar uma amostra de líquido da ferida e, em seguida, enviá-la para um laboratório de teste.

Análises de sangue à procura de anticorpos para HSV-1 e HSV-2 também podem ser usadas ​​para diagnosticar essas infecções. Isto é especialmente útil quando não há feridas presentes.

Tratamento

Atualmente não há cura para este vírus. O tratamento da herpes concentra-se em livrar-se de feridas e limitar os surtos. É possível que suas feridas desapareçam sem tratamento. No entanto, o seu médico pode determinar que necessite de um ou mais dos seguintes medicamentos:

– Aciclovir
– Ezopen
– Ezopen
– Penvir

Estes medicamentos podem ajudar indivíduos infectados a reduzir o risco de propagação do vírus para outras pessoas. Os medicamentos também ajudam a diminuir a intensidade e a frequência de surtos. Estes medicamentos podem vir em forma oral (pílula), ou pode ser aplicado como um creme. Para surtos graves, estes medicamentos também podem ser administrados por injeção.

Em casos de herpes leve, pode não ser necessário o tratamento com medicamentos, apenas o tratamento feito topicamente.

Prevenção

Embora não haja cura para o herpes, você pode tomar medidas de precaução para evitar ser infectado, ou para evitar a propagação do vírus para outra pessoa.

Se você estiver enfrentando um surto de HSV-1, tente evitar o contato físico direto com outras pessoas. Não compartilhe nenhum item que possa transmitir o vírus, como copos, toalhas, talheres, roupas ou maquiagem. Os médicos também recomendam que os indivíduos infectados não devam participar de sexo oral, beijos ou qualquer outro tipo de atividade sexual durante um surto. Além disso, se suas mãos estiverem em contato com suas feridas, você deve lavá-las completamente e aplicar a medicação com cotonetes para reduzir o contato.

Os indivíduos com HSV-2 devem evitar qualquer tipo de atividade sexual com outras pessoas durante um surto. Se o indivíduo não está experimentando sintomas, mas já foi diagnosticado com o vírus, um preservativo deve ser usado durante a relação sexual. Embora um preservativo possa ser usado, ainda pode ser possível passar o herpes para o seu parceiro. Mulheres que estão grávidas e infectadas pelo herpes podem ter que tomar remédios para evitar que o vírus infecte seus bebês ao nascer ou ainda evitar o parto normal.

Prognóstico

Pessoas que se tornam infectadas com herpes terão o vírus para o resto de suas vidas. Mesmo que não manifeste sintomas, o vírus continuará a viver nas células nervosas de uma pessoa infectada. Algumas pessoas podem ter surtos regulares. Outras só experimentam um surto depois de terem sido infectadas, depois o vírus pode tornar-se dormente. Mesmo se um vírus estiver dormente, um surto pode ser desencadeado por certos estímulos, tais como:

– Estresse.
– Períodos menstruais.
– Febre.
– Exposição solar ou queimaduras solares.

Acredita-se que os surtos podem se tornar menos intensos ao longo do tempo porque o corpo começa a criar anticorpos. Se um indivíduo saudável foi infectado com o vírus, geralmente não há complicações.

Herpes labial

O herpes labial, também conhecido como herpes oral, é uma infecção da área da boca causada pelo vírus herpes simples. É uma infecção comum e contagiosa que se espalha facilmente.

A infecção provoca bolhas e feridas nos lábios, boca, língua ou gengivas. Após uma infecção inicial, o vírus permanece adormecido dentro das células nervosas do rosto. Mais tarde, o vírus pode reativar e resultar em mais feridas. O herpes é recorrente quando isso acontece. Estes são comumente conhecidos como feridas de frio.

O herpes simples geralmente não é grave, mas as recorrências são comuns. Muitas pessoas optam por tratar os episódios recorrentes com cremes. Os sintomas geralmente desaparecem sem tratamento em poucas semanas. Um médico pode prescrever remédios se as recaídas ocorrem com frequência.

Causas da herpes labial

A herpes labial é o resultado de um vírus chamado vírus herpes simples tipo 1 (HSV-1). A infecção inicial geralmente ocorre antes dos 20 anos. Normalmente afeta os lábios e áreas ao redor da boca.

Você pode obter o vírus de contato pessoal próximo com alguém que tem o vírus. Você também pode obter herpes oral ao tocar objetos onde o vírus pode estar presente. Estes incluem toalhas, utensílios, lâminas para barbear, e outros itens compartilhados.

Sintomas da herpes labial

A infecção primária pode não causar sintomas. Se isso acontecer, as feridas podem aparecer perto ou na boca dentro de uma a três semanas após seu primeiro contato com o vírus. As bolhas podem durar até três semanas. Em geral, um episódio recorrente é mais leve do que a infecção inicial.

Os sintomas de um episódio recorrente podem incluir:

– Bolhas ou feridas na boca, lábios, língua, nariz ou gengivas.
– Dor ardente ao redor das bolhas.
– Formigamento ou prurido perto dos lábios.
– Surtos de várias pequenas bolhas que crescem juntas e podem estar vermelhas e inflamadas.

Formigamento perto dos lábios é geralmente um sinal de aviso de que a ferida de herpes oral recorrente está prestes a aparecer em um a dois dias.

Tratamento da herpes labial

Você não pode se livrar do próprio vírus. Uma vez infectado, ele permanecerá em seu corpo para sempre, mesmo se você não tiver episódios recorrentes.

Aplicar gelo ou um pano morno no rosto ou tomar um analgésico pode ajudar a reduzir qualquer dor. Algumas pessoas optam por usar cremes para a pele. No entanto, estes cremes geralmente apenas encurtam uma recidiva da herpes oral por um ou dois dias.

O seu médico pode prescrever medicamentos antivirais orais para combater o vírus. Estes medicamentos funcionam melhor se você tomá-los quando experimentar os primeiros sinais de uma ferida na boca, como formigamento nos lábios e antes que as bolhas apareçam. Estes medicamentos não curam a herpes e não podem impedi-lo de espalhar o vírus para outras pessoas.

Para casos de herpes labial recorrente que resultam em feridas na boca frequentes, o seu médico pode aconselhá-lo a usar a medicação o tempo todo.

Herpes genital

O herpes genital é uma doença sexualmente transmissível (DST). Esta DST provoca feridas herpéticas, que são bolhas doloridas cheias de líquido que podem abrir-se e escoar fluído. Cerca de 16% das pessoas entre as idades de 14 e 49 têm esta DST.

Causas da herpes genital

Os dois tipos de vírus causam herpes genital: o vírus herpes HSV-1 e o vírus herpes HSV-2. Os vírus entrar em seu corpo através de suas membranas mucosas e podem ser encontrados em seu nariz, boca e órgãos genitais. Uma vez que os vírus estão dentro de seu corpo, eles incorporam-se em suas células. Os vírus tendem a multiplicar ou adaptar-se ao seu ambiente muito facilmente, o que torna o tratamento deles difícil.

O HSV-1 ou HSV-2 podem ser encontrados em fluídos corporais de pessoas infectadas, incluindo:

– Saliva
– Sêmen
– Secreções vaginais

Sintomas da herpes genital

O aparecimento de bolhas é conhecido como um surto da herpes genital. Seu primeiro surto aparecerá entre dois dias depois que você contraiu o vírus, ou até 30 dias depois. Os sintomas para os homens incluem bolhas no pênis, escroto ou nádegas (perto ou ao redor do ânus). Para as mulheres incluem bolhas ao redor ou perto da vagina, ânus e nádegas.

É muito importante que você informe o seu médico que você tem herpes genital, se você está grávida. Eles tomarão precauções para evitar que o vírus seja transmitido ao bebê durante o parto.

Como tratar a herpes genital

O tratamento pode reduzir os surtos, mas não pode curá-lo dos vírus da herpes simples. O tratamento baseia-se no uso de medicamentos antivirais para ajudar a acelerar o tempo de cura de suas feridas e reduzir a dor. Os medicamentos podem ser tomados nos primeiros sinais de um surto (formigamento, coceira e outros sintomas) para reduzir os sintomas. Cuidados domiciliários, como usar produtos de limpeza suaves quando tomar banho, manter o local infectado limpo e seco, usar roupas de algodão soltas para manter a área confortável, também são importantes.

Mais informações

Por ser muito comum, a herpes é difícil de ser prevenida, além disso, você já pode ter o vírus sem saber. Mesmo assim, é bom tomar as medidas de segurança para prevenir essa doença e buscar ajuda médica caso apresente os sintomas da herpes, principalmente na área genital e se estiver grávida.

Este artigo te ajudou?
  • +6 curtiram
  • -1 não curtiram