O que é misofonia e como é feito o tratamento desta condição

O que é misofonia e como é feito o tratamento desta condição

As unhas no quadro fazem você se encolher de arrepios? Imagine se um som pudesse fazer você entrar em pânico ou entrar em fúria. Este é o caso da misofonia, uma doença que vamos conhecer mais sobre suas causas e tratamentos.

O que é misofonia?

Miso (aversão, ódio) e fonia (som), a misofonia é uma aversão forte a determinados sons e também conhecida como síndrome seletiva de sensibilidade ao som.

Esta condição geralmente implica uma série de reações negativas, como raiva, agitação e ódio de sons particulares e é diferente da hiperacusia, outra forma de menor tolerância ao som, que é definida como uma reação negativa ao som devido a características físicas particulares, como o volume, tipo e intensidade. A misofonia também deve ser distinguida da fonofobia, que se refere ao medo de sons específicos.

Embora existam poucas estatísticas específicas sobre a frequência com que a misofonia ocorre na população na geral, esta forma de sensibilidade ao ruído extremo ocorre em até 60% das pessoas que sofrem de zumbido nos ouvidos.

Sinais comuns de misofonia

A misofonia começa com um gatilho, muitas vezes é um som oral, o ruído que alguém faz quando come, respira, mastiga ou boceja. Às vezes, um pequeno movimento repetitivo é a causa, como quando alguém se agacha, empurra você ou apenas caminha.

Se você tiver uma reação leve, você pode sentir:

  • – Ansiedade
  • – Algum desconforto
  • – O desejo de fugir
  • – Aversão

Se a sua resposta for mais grave, o som em questão pode causar:

  • – Raiva
  • – Ódio
  • – Pânico
  • – Medo
  • – Aflição emocional
  • – Um desejo de matar ou parar o que está fazendo barulho
  • – Pensamentos suicidas

A doença pode afetar sua vida social. Você pode evitar restaurantes ou comer separadamente de seu cônjuge, família ou família. Ou pior, você pode atacar a pessoa que está fazendo o som, de maneira física ou verbal, chorar ou fugir da situação.

Ao longo do tempo, você também pode responder aos gatilhos visuais. Ver alguém se preparar para comer ou colocar algo em sua boca pode acabar com você.

Quais são as causas e fatores de risco para misofonia?

Embora não se conheça uma única causa da misofonia, pensa-se que está associada à forma como o sistema nervoso central (cérebro e medula espinal) funciona e não há alguma alteração na sua estrutura ou anatomia. Especificamente, acredita-se que essa desordem esta relacionada ao aumento das vias auditivas no sistema nervoso central, bem como a ansiedade aumentada e outras reações emocionais aos sons. Pessoas com um transtorno auditivo podem estar em risco para outro. Por exemplo, as pessoas com hiperacusia correm maior risco de zumbido, perda auditiva e fonofobia.

Em outras palavras, pensa-se que esta doença se desenvolve, pelo menos em parte, como o resultado do desenvolvimento de uma associação emocional entre um ruído normal e potencialmente irritante para uma reação física aversiva.

A misofonia tende a ocorrer também em pessoas com transtornos mentais como transtorno obsessivo-compulsivo, transtorno de personalidade obsessivo-compulsivo, transtorno de Tourette e distúrbios alimentares. As meninas de idade pré-púberes também estão em maior risco de desenvolver misofonia em comparação com homens e pessoas de outras faixas etárias.

Principais sons que causam misofonia

Existem inúmeros gatilhos potenciais para misofonia, incluindo:

  • – Ronco
  • – Chiado
  • – Mastigar com a boca aberta
  • – Falando com comida na boca
  • – Ranger os dentes
  • – Cliques de caneta

A pessoa com misofonia pode reagir com medo, irritação ou fúria com o que eles consideram irritante. A pessoa pode tentar distanciar-se do gatilho ou se envolver em atuar na fonte do som, como gritando ou atingindo essa pessoa. Um aspecto chave desta desordem é que, uma vez que a pessoa está exposta ao que ela acredita ser um estímulo ofensivo, a reação normalmente começa com irritabilidade ou desgosto, em seguida, eleva rapidamente para um nível extremo que pode ser de raiva ou ódio.

Como diagnosticar a misofonia?

Muitos profissionais de saúde, incluindo psiquiatras, audiologistas, fonoaudiólogos e psicólogos podem ajudar a fazer o diagnóstico de misofonia. Um desses profissionais provavelmente conduzirá ou encaminhará o paciente para uma extensa entrevista médica e exame físico como parte da avaliação.

Um dos principais aspectos do estabelecimento do diagnóstico de misofonia inclui excluir outros distúrbios auditivos, incluindo perda auditiva relacionada à idade, zumbido no ouvido, hiperacusia (diminuição da tolerância aos sons comuns no ambiente) e alucinações auditivas (ouvindo coisas, muitas vezes vozes, que não têm base para a percepção).

Esta doença às vezes é associada a uma série de outros problemas de saúde mental, como depressão, transtorno bipolar, transtorno obsessivo compulsivo e outros transtornos de ansiedade ou transtorno de personalidade obsessiva compulsiva.

Portanto, o avaliador provavelmente examinará sinais de depressão, ansiedade, distúrbios comportamentais e outros sintomas de saúde mental. Os sintomas da misofonia também podem ser o resultado de uma série de condições médicas ou podem ser um efeito colateral de vários medicamentos. Por esta razão, os profissionais de saúde geralmente realizam exames laboratoriais de rotina durante a avaliação inicial para excluir outras causas dos sintomas.

Ocasionalmente, um raio-X ou exame com outro tipo de imagem pode ser necessário. Como parte deste exame, o paciente pode receber uma série de perguntas de um questionário padronizado ou autoteste para ajudar a desqualificar outros diagnósticos.

Misofonia tem cura?

Embora não exista uma cura específica conhecida para misofonia e há ainda pesquisas pouco rigorosas em relação a tratamentos efetivos, existem várias abordagens que tendem a ser usadas com algum sucesso aparente e você pode aprender a gerenciá-la e melhorar sua qualidade de vida.

Como é feito o tratamento de misofonia

Uma opção de tratamento de misofonia é a Terapia de Habituação do Zumbido ou TRT (Tinnitus Retraining Therapy) implica ensinar pessoas com misofonia a melhorar sua capacidade de tolerar certos ruídos. A terapia comportamental cognitiva também é usada e envolve a mudança dos pensamentos negativos que podem contribuir para o sofrimento do paciente. Outro tratamento envolve a adição de ruído de fundo ao ambiente da pessoa, em um esforço para ajudá-la a ignorar seus gatilhos para reações negativas.

Medicação geralmente não é usada para tratar esta condição, mas podem ser indicados suplementos dietéticos, como vitaminas, minerais e óleo de peixe.

Seu estilo de vida também desempenha um papel fundamental. Faça exercícios regulares, durma bem e gerencie seu estresse. Você também pode usar tampões de ouvido e fones de ouvido para reduzir os sons.

É importante também realizar o diagnóstico de outras condições de saúde, como depressão ou outros transtornos que possam estar causando esta condição e tratá-los devidamente.

Complicações da misofonia

As complicações da misofonia incluem que o sofredor pode se tornar defensivo contra certas situações e mudar sua vida para evitar experiências que possam desencadear sintomas. Isso pode resultar em evitar socializar com amigos ou membros da família ou mesmo evitar dormir no mesmo quarto que um cônjuge.

Essas questões podem, eventualmente, resultar em problemas nas relações, na escola ou no emprego. Felizmente, uma pesquisa indica que mais de 80% dos sofredores de misofonia podem sofrer alívio significativo dos sintomas se tratados.

Mais informações

A misofonia é uma condição que pode afetar gravemente a vida de alguém que sofra deste problema. No entanto, com o tratamento, os sintomas podem ser bastante reduzidos. Existem também grupos de apoio para pessoas que sofrem desta condição, que podem ajudar a gerenciar a doença.

Este artigo te ajudou?
  • +3 curtiram
  • -2 não curtiram