O que é isquemia cerebral e cardíaca e quais seus sintomas

O que é isquemia cerebral e cardíaca e quais seus sintomas

Uma isquemia é um problema grave que pode afetar qualquer pessoa, embora existam alguns fatores de risco que aumentam as chances de um indivíduo sofrer desta condição. Saiba mais sobre este problema e como se prevenir de uma isquemia.

O que é isquemia

A isquemia trata-se de um termo médico que designa a deficiência ou ausência de sangue e oxigênio para algum tecido ou órgão do corpo.

Esse problema pode ser causado por um espasmo vascular, hemorragia, hipotensão acentuada, compressão vascular ou diminuição da luz vascular.

A isquemia cerebral ou Acidente Vascular Cerebral Isquêmico (AVCI), mais conhecido como derrame, ocorre pela falta de sangue em uma área cerebral. Já a isquemia cardíaca é a redução da passagem de sangue para as artérias do coração.

Se uma pessoa que sofre uma isquemia não é tratada a tempo, pode correr o risco de morte, além disso, em muitos casos, há sequelas.

Vamos saber mais sobre a isquemia cerebral e cardíaca, e conhecer seus sintomas de formas de prevenção:

Isquemia cerebral

Esta condição é também chamada de ataque isquêmico transitório (AIT) ou isquemia transitória. A isquemia cerebral é uma condição que ocorre quando não há fluxo sanguíneo suficiente para o cérebro atender a demanda metabólica. Isto leva a um fornecimento limitado de oxigênio ou a hipóxia cerebral e leva à morte de tecido cerebral, infarto cerebral ou acidente vascular cerebral isquêmico (AVC isquêmico). É um subtipo de acidente vascular cerebral, juntamente com hemorragia subaracnoidea e hemorragia intracerebral.

Existem dois tipos de isquemia:

  • – Isquemia focal: confinada a uma região específica do cérebro
  • – Isquemia global: engloba amplas áreas do tecido cerebral

Isquemia cerebral focal

A isquemia cerebral focal ocorre quando um coágulo sanguíneo bloqueou um vaso cerebral. A isquemia cerebral focal reduz o fluxo sanguíneo para uma região do cérebro em particular, aumentando o risco de morte celular para essa área. Pode ser causada por trombose ou embolia.

Isquemia cerebral global

A isquemia cerebral global ocorre quando o fluxo sanguíneo para o cérebro é interrompido ou reduzido. Isso geralmente é desencadeado por parada cardíaca. Se a circulação adequada for restaurada dentro de um curto período de tempo, os sintomas podem ser breves. No entanto, se uma grande quantidade de tempo passar antes da restauração, danos cerebrais podem ser permanentes.

Causas da isquemia cerebral

A anemia falciforme pode causar isquemia cerebral ligada às células sanguíneas formadas irregularmente. Algumas células sanguíneas irregulares coagulam-se mais facilmente do que as células sanguíneas normais, obstruindo o fluxo sanguíneo para o cérebro.

A compressão de vasos sanguíneos também pode levar a isquemia cerebral, obstruindo as artérias que trazem oxigênio para o cérebro. Os tumores podem ser a causa da compressão dos vasos sanguíneos.

O acúmulo de placas nas artérias também pode resultar em isquemia. Mesmo a menor quantidade de acúmulo de placa pode causar o estreitamento das passagens, afetando essa área para se tornar mais propenso a coágulos sanguíneos. Maiores coágulos sanguíneos também podem causar isquemia bloqueando o fluxo sanguíneo.

Um ataque cardíaco também pode levar à isquemia cerebral devido à associação que existe entre ataque cardíaco e pressão arterial baixa. A pressão arterial extremamente baixa normalmente caracteriza a oxigenação insuficiente dos tecidos. Um ataque cardíaco pode reduzir o fluxo sanguíneo fazendo o sangue coagular e parar o fluxo de sangue para o cérebro ou outros órgãos importantes. A isquemia cerebral pode resultar de outros eventos além de ataques cardíacos.

Defeitos cardíacos congênitos podem resultar em isquemia cerebral devido à falta de formação adequada da artéria e conexão. Os pacientes com defeitos cardíacos congênitos também podem estar predispostos a coágulos sanguíneos.

Sintomas de isquemia cerebral

Os principais sintomas da isquemia incluem:

  • – Perda de sensibilidade no braço, perna ou outra parte do corpo
  • – Debilidade ou paralisia no braço, perna ou outra parte do corpo
  • – Enjoo
  • – Inconsciência
  • – Cegueira
  • – Problemas com a coordenação
  • – Fraqueza no corpo
  • – Fala enrolada e pouco compreensível
  • – Incontinência urinária
  • – Desequilíbrio e queda
  • – Desmaio

Fatores de risco

Alguns dos fatores de risco para essa condição não podem ser evitados, enquanto outros é possível controlá-los.

Os controláveis são:

  • – Hipertensão arterial
  • – Colesterol alto
  • – Doença cardiovascular
  • – Doença arterial periférica
  • – Diabetes
  • – Altos níveis de homocisteína no sangue
  • – Excesso de peso e obesidade
  • – Tabagismo
  • – Sedentarismo
  • – Dieta rica em sal e gorduras
  • – Abuso de álcool
  • – Uso de drogas ilícitas
  • – Uso de pílulas anticoncepcionais

Os que não são possível controlar são:

  • – Histórico familiar de AVC e ataque isquêmico transitório
  • – Idade, sendo que o risco aumenta especialmente depois dos 55 anos
  • – Gênero, sendo que os homens têm uma probabilidade maior de sofrer um ataque isquêmico transitório e AVC
  • – Ataque isquêmico transitório anterior
  • – Doença falciforme
  • – Etnia, sendo que pessoas negras estão em maior risco

Tratamento

O tratamento para isquemia cerebral pode variar dependendo da causa do problema. Os médicos podem prescrever medicamentos para reduzir a coagulação do sangue, como antiplaquetários e anticoagulantes. Anticonvulsivantes também são geralmente prescritos para evitar convulsões.

Em alguns casos pode ser necessário a realização de uma cirurgia. A endarterectomia que serve para tratar uma artéria carótida moderadamente ou severamente diminuída. Nesse procedimento cirúrgico, são removidos depósitos de gordura das artérias.

A angioplastia ou implante de stent, também pode ser indicada, e é feita a partir de um dispositivo parecido com balão, que é colocado na artéria entupida para abri-la e por onde é colocado um stent, mantendo-a mais larga e facilitando a passagem de sangue.

Prevenção

Você deve e pode fazer o possível para evitar esse problema, algumas dicas são:

  • – Não fumar
  • – Ter uma dieta equilibrada, com baixos níveis de gorduras e muitas frutas e vegetais
  • – Limitar o consumo de sódio
  • – Praticar exercício regular
  • – Limitar a ingestão de álcool
  • – Manter um peso saudável
  • – Não usar drogas ilícitas
  • – Controlar a diabetes

Isquemia cardíaca

A isquemia miocárdica ocorre quando o fluxo sanguíneo através de uma ou mais das artérias coronárias diminui por um curto período de tempo, reduzindo o fornecimento de sangue rico em oxigênio para o coração. O sintoma mais comum é a dor no peito ( angina de peito). Esse problema é uma das principais causas de morte em todo o mundo, e também pode ser conhecido como doença cardíaca coronariana, isquemia miocárdica, cardiopatia isquêmica ou isquemia do miocárdio.

O diagnóstico de isquemia miocárdica antes de um ataque cardíaco é importante porque a doença isquêmica do coração é responsável por aproximadamente 14% de todas as mortes em todo o mundo.

O diagnóstico de isquemia miocárdica pode ser difícil de fazer. Frequentemente, a doença é diagnosticada apenas após o paciente ter sofrido um ataque cardíaco. Os sintomas desse problema variam de angina instável a nenhum sintoma. A doença ocorre nos jovens e nos idosos, tanto nas mulheres como nos homens.

Causas da isquemia cardíaca

A isquemia cardíaca, e consequentemente angina, ocorre sempre que o requisito de oxigênio do músculo cardíaco excede o suprimento devido à redução do fluxo sanguíneo para o coração. Isso geralmente é causado por um bloqueio parcial ou completo das artérias coronárias e pode ocorrer gradualmente durante um longo período de tempo, ou de repente. As condições causais incluem:

  • – Doença da artéria coronária (aterosclerose): esta é a causa mais comum, em que o colesterol se acumula nas paredes das artérias e restringe o fluxo sanguíneo
  • – Coágulo de sangue
  • – Espasmo da artéria coronária: uma causa incomum, em que um aperto temporário dos músculos em uma parede da artéria pode diminuir ou interromper o fluxo sanguíneo em parte do músculo cardíaco

Pessoas com diabetes ou história de ataques cardíacos estão especialmente em risco de desenvolver isquemia cardíaca. A doença do músculo cardíaco (cardiomiopatia) causada pela isquemia é uma das principais causas de insuficiência cardíaca.

Sintomas de isquemia miocárdica

Em casos de silenciosa isquemia, pode haver nenhum sintoma evidente. Um paciente com episódios de dor torácica visível também pode ter episódios de isquemia silenciosa.

Quando os sintomas estão presentes, o mais comum é a dor torácica, geralmente no lado esquerdo do tórax, também conhecida como angina de peito. Esta dor torácica pode ser desencadeada por coisas como esforço físico, estresse, tempo frio ou uso de cocaína.

Outros sintomas podem incluir:

  • – Dor no maxilar
  • – Dor de pescoço
  • – Dor no braço e ombro
  • – Aumento da frequência cardíaca
  • – Náuseas e vômitos
  • – Falta de ar
  • – Arritmias cardíacas
  • – Fadiga

Nos casos de “isquemia silenciosa”, a dor torácica está ausente, mas outros sintomas como falta de ar, náuseas , suor excessivo e fadiga podem estar presentes.

Fatores de risco

Para a isquemia cardíaca, há também alguns fatores de risco controláveis e outros não.

Os controláveis são:

  • – Hipertensão arterial
  • – Diabetes (tipos 1 e 2)
  • – Colesterol alto
  • – Fumar
  • – Consumo de álcool
  • – Uso de drogas
  • – Sedentarismo
  • – Obesidade e excesso de peso

Os não controláveis são:

  • – Doença da artéria coronariana
  • – Anomalias da artéria coronária
  • – Cardiomiopatia

Tratamento

O objetivo do tratamento é melhorar o fluxo sanguíneo para o coração, seja através de medicação ou cirurgia.

Os medicamentos incluem aspirina, anticoagulantes, outros agentes diluidores de sangue e aqueles que retardam a frequência cardíaca, relaxam e dilatam os vasos sanguíneos e reduzem o estresse no coração.

O oxigênio pode ser administrado para aumentar o teor de oxigênio do sangue e os analgésicos podem ser usados ​​contra a dor.

Os procedimentos cirúrgicos incluem angioplastia com balão e cirurgia de pontagem coronária ou de revascularização coronária (cirurgia de bypass).

Prevenção

As medidas preventivas incluem:

  • – Parar de fumar
  • – Melhorar a dieta para controlar o colesterol
  • – Controlar a diabetes, se estiver presente
  • – Controlar a hipertensão, se estiver presente
  • – Praticar exercício físico regular, que também ajuda a prevenir a hipertensão
  • – Limitar o consumo de álcool e sal

Mais informações

Tanto a isquemia cerebral como a cardíaca são condições sérias de saúde, que podem deixar sequelas e levar a morte. A qualquer sinal desses problemas, procure um hospital com urgência. Além disso, você deve manter hábitos saudáveis para evitar esses problemas.

Este artigo te ajudou?
  • +2 curtiram
  • 0 não curtiram