O que é esquizofrenia e quais os sintomas dessa doença

O que é esquizofrenia e quais os sintomas dessa doença

A esquizofrenia afeta aproximadamente 1% de todos os adultos da população mundial. Esse problema pode surgir de maneira rápida ou lentamente, sendo que uma pessoa pode ter esquizofrenia durante anos sem saber. A grande maioria das pessoas com esquizofrenia não é violenta e não representa um perigo para os outros.

O que é esquizofrenia?

A esquizofrenia é um transtorno psiquiátrico grave que afeta o modo como uma pessoa pensa, sente e age. Alguém com esquizofrenia pode ter dificuldade em distinguir o que é real e o que é imaginário e pode ter dificuldade em expressar emoções normais em situações sociais.

A esquizofrenia não é causada por experiências de infância ou falta de força de vontade, nem os sintomas são idênticos para cada pessoa.

Quais são os tipos de esquizofrenia?

Os médicos que se especializavam em saúde mental costumavam dividir a esquizofrenia em diferentes subtipos. Mas esse sistema não funcionou bem.

Agora, especialistas falam sobre esquizofrenia como uma desordem do espectro. É um grupo de transtornos mentais relacionados que compartilham alguns sintomas. Eles são como variações em um tema em música. Eles afetam sua sensação do que é real e mudam a forma como você pensa, sente e age.

O principal distúrbio que é a esquizofrenia, inclui todos os subtipos anteriores:

  • – Catatônico
  • – Desorganizado
  • – Paranoico
  • – Residual
  • – Indiferenciado

O que causa esquizofrenia?

A causa da esquizofrenia ainda não está clara. Algumas teorias sobre a causa desta doença incluem:

Hereditariedade

Os cientistas reconhecem que esta desordem tende a ocorrer em famílias. Semelhante a outras doenças geneticamente relacionadas, a esquizofrenia pode aparecer quando o corpo sofre alterações físicas e hormonais (como aquelas que ocorrem durante a puberdade nos anos de adolescência e jovens adultos) ou depois de lidar com situações altamente estressantes.

Química

Os cientistas acreditam que os esquizofrênicos têm um desequilíbrio dos produtos químicos cerebrais ou neurotransmissores: dopamina, glutamato e serotonina. Esses neurotransmissores permitem que células nervosas no cérebro enviem mensagens umas para as outras. O desequilíbrio destes produtos químicos afeta a forma como o cérebro de uma pessoa reage aos estímulos, o que explica por que uma pessoa com esquizofrenia pode estar sobrecarregada com informações sensoriais (música alta ou luzes brilhantes) que outras pessoas podem manipular facilmente. Este problema no processamento de sons, visões, cheiros e gostos diferentes também pode levar a alucinações ou delírios.

Estrutura

Algumas pesquisas sugerem que problemas com o desenvolvimento de conexões e caminhos no cérebro, enquanto no útero, mais tarde, levam a esquizofrenia.

Infecções virais e transtornos imunológicos

Em outros casos de esquizofrenia, esse problema pode ser desencadeado por eventos ambientais, como infecções virais ou distúrbios imunológicos. Por exemplo, bebês cujas mães contraem a gripe enquanto estão grávidas estão em maior risco de desenvolver esquizofrenia mais tarde na vida. As pessoas que são hospitalizadas por infecções graves também estão em maior risco.

Esquizofrenia sintomas

Os sintomas de esquizofrenia são diferentes para todos. Os sintomas podem se desenvolver devagar ao longo de meses ou anos, ou podem parecer muito abruptamente. A doença pode ir e vir em ciclos de recaída e remissão.

Os comportamentos que são sinais de alerta precoces de esquizofrenia incluem:

  • – Delírios: os indivíduos podem acreditar que alguém está espionando ele, ou que são alguém famoso (ou uma figura religiosa)
  • – Alucinações: ver, sentir, provar ou ouvir algo que realmente não existe. A experiência mais comum é ouvir vozes imaginárias que dão comandos ou comentários ao indivíduo
  • – Pensamento e fala desordenada: mover-se de um lado para outro, de forma sem sentido. Os indivíduos também podem criar suas próprias palavras ou sons, rimar de uma maneira que não faz sentido, ou repetir palavras e ideias
  • – Comportamento desorganizado: isso pode variar desde ter problemas com comportamentos de rotina, como higiene ou escolher roupas adequadas para o clima, ações impulsivas e desinibidas. Uma pessoa também pode ter movimentos que parecem ansiosos, agitados, tensos ou constantes, sem qualquer razão aparente
  • – Cognição prejudicada: problemas de atenção, concentração, memória e diminuição do desempenho educacional

Qualquer pessoa que experimente vários desses sintomas por mais de duas semanas deve procurar ajuda imediatamente.

Os sintomas geralmente aparecem no início da idade adulta. Os homens geralmente experimentam sintomas em seus 20 anos e as mulheres geralmente mostram sinais no final dos 20 anos e no início dos 30 anos. Mais sinais sutis podem estar presentes anteriormente, incluindo relacionamentos problemáticos, desempenho escolar fraco e motivação reduzida. Raramente essa doença é diagnosticada em crianças ou adolescentes.

A primeira vez que uma pessoa experimenta sintomas de esquizofrenia, pode ser muito desagradável. Eles podem demorar muito para se recuperar e essa recuperação pode ser uma experiência solitária. É crucial que uma pessoa que vive com esquizofrenia receba o apoio total de seus familiares e amigos quando os sintomas aparecem pela primeira vez.

Diagnóstico da esquizofrenia

Antes de um diagnóstico ser feito, um psiquiatra deve realizar um exame médico completo para excluir o uso indevido de substâncias ou outras doenças cujos sintomas imitam a esquizofrenia. Este exames podem incluir:

  • – Exames de sangue: nos casos em que o uso de drogas pode ser um fator, um teste de sangue pode ser pedido. Exames de sangue também são feitos para excluir as causas físicas da doença
  • – Estudos de imagem: para descartar tumores e problemas na estrutura do cérebro
  • – Avaliação psicológica: um especialista avaliará o estado mental do paciente perguntando sobre pensamentos, humor, alucinações, traços suicidas, tendências violentas ou potencial de violência, bem como observando sua atitude e aparência

Esquizofrenia tem cura?

Não há cura. A medicina pode ajudar a controlar muitos dos sintomas. Talvez seja necessário tentar diferentes medicamentos para ver qual é o melhor. Você deve permanecer com seu remédio durante o tempo que seu médico recomenda. Tratamentos adicionais podem ajudá-lo a lidar com sua doença no dia a dia. Estes incluem terapia, educação familiar, reabilitação e treinamento de habilidades.

Os especialistas também estão desvendando as causas da doença ao estudar genética, realizando pesquisas comportamentais e usando imagens avançadas para analisar a estrutura e a função do cérebro. Essas abordagens mantêm a promessa de novas e mais eficazes terapias.

Tratamento para esquizofrenia

Os psiquiatras dizem que o tratamento mais eficaz para os pacientes com esquizofrenia geralmente é uma combinação de:

  • – Medicação
  • – Aconselhamento psicológico
  • – Recursos de auto-ajuda

Os medicamentos anti-psicose transformaram o tratamento com esquizofrenia. Graças a eles, a maioria dos pacientes é capaz de viver na comunidade.

O tratamento primário de esquizofrenia é a medicação. Infelizmente, seguir o regime de medicação é um grande problema. As pessoas com esquizofrenia muitas vezes saem da medicação por longos períodos durante suas vidas, o que pode causar problemas pessoais enormes, que muitas vezes afetam também aqueles que os rodeiam.

O paciente deve continuar tomando medicação mesmo quando os sintomas desapareceram. Caso contrário, eles voltarão.

Depois que os sintomas da esquizofrenia são controlados, vários tipos de terapia podem continuar a ajudar as pessoas a gerenciar a doença e melhorar suas vidas. Terapias podem ajudar as pessoas a aprender habilidades sociais, lidar com o estresse, identificar sinais de alerta precoce dos sintomas e prolongar períodos de remissão.

Como a esquizofrenia tipicamente atinge no início da idade adulta, os indivíduos com o transtorno geralmente se beneficiam da reabilitação para ajudar a desenvolver habilidades de gerenciamento de vida, para completar o ensino educacional e realizar um trabalho.

Programas de reabilitação psicossocial são também usados e ajudam as pessoas a recuperar habilidades como: emprego, culinária, limpeza, orçamento, compras, socialização, resolução de problemas e gerenciamento do estresse. Os grupos de auto-ajuda também podem fornecem apoio e informações contínuas a pessoas com esquizofrenia.

Mais informações

Embora não haja cura para a esquizofrenia, muitas pessoas com esta doença podem levar vidas produtivas e satisfatórias com o tratamento adequado. A reabilitação pode ajudar uma pessoa a recuperar a confiança e as habilidades necessárias para uma melhor qualidade de vida e independência social.

Este artigo te ajudou?
  • +2 curtiram
  • 0 não curtiram