O que é endometriose, quais seus sintomas e tratamentos

O que é endometriose, quais seus sintomas e tratamentos

A endometriose é uma condição comum e exclusiva das mulheres. Apesar disto, existem vários tratamentos eficazes para gerenciar o problema. Hoje, vamos conhecer mais sobre a endometriose e tirar as principais dúvidas em relação a esse tema.

O que é endometriose?

endometriose

A endometriose é uma condição progressiva e crônica que afeta os órgãos reprodutivos de uma mulher. Ocorre quando endométrio, mucosa que reveste a parede interna do útero, é encontrado em outras partes do corpo. Isso nem sempre causa sintomas. E geralmente não é perigoso. Mas pode causar dor e outros problemas.

O endométrio pode se desenvolver em qualquer parte do corpo, mas geralmente ocorre na área pélvica.

Eles podem afetar:

  • – Os ovários: a endometriose ovariana é também chamada de endometrioma
  • – O intestino: A endometriose intestinal causa intensa dor abdominal. A cirurgia é o procedimento mais indicado para seu tratamento
  • – A bexiga: A endometriose na bexiga é rara, sendo encontrada em 0,5% a 2% de todos os casos

Outros locais em que pode afetar são as trompas de Falópio, o peritoneu (uma membrana serosa, que reveste profundamente toda a cavidade abdominal e a cavidade pélvica) e os gânglios linfáticos.

Pode ocorrer também a endometriose profunda, que é a forma mais grave da doença. Nesse caso, o tecido endometrial espalha-se por uma ampla área e é mais espesso que o normal, isso pode piorar os sintomas comuns da endometriose.

Normalmente, este tecido é expulso durante a menstruação, mas com o tecido deslocado para outra parte do corpo isso não ocorre.

Quando essa condição ocorre pode levar a sintomas físicos, como a dor. À medida que as lesões crescem, elas podem afetar as funções corporais. Por exemplo, as trompas de Falópio podem ser bloqueadas.

A dor e outros sintomas podem afetar diferentes áreas da vida, incluindo a capacidade de trabalhar, os custos de cuidados médicos e a dificuldade em manter relacionamentos.

Estudos sugerem que a endometriose afeta 1 em cada 10 mulheres em idade reprodutiva, com cerca de 176 milhões de mulheres em todo o mundo com a condição.

Como saber se tenho endometriose?

Os sintomas variam de mulher para mulher. Algumas mulheres têm muitos sintomas e dores graves, enquanto outras não apresentam sintomas. Cerca de um terço das mulheres com endometriose descobrem que têm o problema porque não conseguiram engravidar ou porque a endometriose é encontrada durante uma operação por outro motivo.

O tipo de sintomas e sua gravidade provavelmente estarão relacionados à localização do tecido endometrial em vez da quantidade de células do endométrio crescendo. Cerca de três em cada quatro mulheres com endometriose apresentam dor pélvica e/ou períodos dolorosos.

Nos estágios iniciais da doença, um ou dois sintomas leves podem ser sentidos no primeiro dia ou dois de um período. Mais tarde, à medida que a condição continua, os sintomas podem piorar por mais dias do mês, durante e antes do período.

Nas mulheres com mais de 25 anos, a endometriose pode dificultar a gravidez. Isso pode ser porque as células endometriais liberam substâncias químicas que causam inflamação e interferem na capacidade de engravidar ou afetam o desenvolvimento do embrião em seus estágios iniciais.

Em casos moderados a graves, a cicatrização causada pelas células endometriais pode interferir com a liberação de um óvulo (ovulação), devido a danos ou bloqueio. O dano também pode impedir a jornada de um óvulo ao longo da trompa de Falópio e/ou o esperma atingir o óvulo, causando problemas de fertilidade.

Endometriose sintomas

endometriose

A dor é um sintoma-chave desta condição e não está relacionada com a gravidade da doença, mas com a localização do tecido endometrial. Os sintomas são:

Dor

  • – Dor imediatamente antes e durante um período
  • – Dor durante ou após o sexo
  • – Dor abdominal, nas costas e/ou pélvica
  • – Dor ao ir no banheiro
  • – Dor de ovulação, incluindo dor na coxa ou perna (isso também pode acontecer normalmente em algumas mulheres)

Sangramento

  • – Hemorragia intensa, com ou sem coágulos
  • – Hemorragia irregular, com ou sem ciclo regular
  • – Sangrando mais do que o normal
  • – Hemorragia antes de um período

Problemas de bexiga e intestino

  • – Sangramento da bexiga ou do intestino
  • – Mudança no padrão de hábito intestinal, como constipação, diarreia
  • – A necessidade de urinar com mais frequência ou alguma outra mudança do hábito normal

Outros sintomas

  • – Inchaço: Aumentar o inchaço abdominal, com ou sem dor no momento do período
  • – Cansaço: Cansaço ou falta de energia, especialmente em torno da época do período
  • – Mudança de humor: Ansiedade e depressão devido a dor contínua
  • – Redução da qualidade de vida: Tirar dias de folga do trabalho, estudo ou escola devido à incapacidade de agir normalmente
  • – Vagina: Espasmo muscular do assoalho pélvico ou aperto que ocorre devido ao medo da dor previamente experimentada com relações sexuais

Outras condições médicas, como doença inflamatória pélvica (PID), cistos de ovário e síndrome do intestino irritável (SII) podem imitar os sintomas da endometriose.

Sintomas durante a menopausa

Normalmente, a endometriose desaparece após a menopausa. Pode retornar com o uso da terapia de reposição hormonal (TRH), mas isso é raro. Ainda mais raramente, pode retornar sem motivo.

Quando obter ajuda

Obter ajuda quando o período de dor está atrapalhando suas atividades diárias normais. Por exemplo:

  • – Faltas no trabalho, escola ou atividades recreativas
  • – Quando os medicamentos utilizados para dor no período não fazem mais efeitos
  • – Quando você precisa ficar na cama devido a dor
  • – Quando os sintomas estão piorando
  • – Quando você se sente chateada com seus sintomas
  • – Quando a sua capacidade mental é afetada

Causas da endometriose

A causa exata da endometriose não é totalmente compreendida. Possíveis explicações incluem:

  • – Problemas com o fluxo menstrual: o sangue menstrual entra nas trompas de Falópio e na pélvis em vez de deixar o corpo da maneira usual. Quando uma mulher tem um período, o sangue flui para fora da vagina, mas também para trás ao longo das trompas de Falópio na pélvis. Em 90% das mulheres, o sangue, que conterá células endometriais, é absorvido ou eliminado e não causa sintomas. No entanto, em mulheres com endometriose, esse tecido endometrial começa a crescer
  • – Crescimento de células embrionárias: às vezes, células embrionárias que alinham o abdome e a pelve se desenvolvem em tecido endometrial dentro dessas cavidades
  • – Desenvolvimento fetal: os dados mostram que a endometriose pode estar presente em um feto em desenvolvimento. Acredita-se que os níveis de estrogênio puberal desencadeiam os sintomas
  • – Cicatriz cirúrgica: as células endometriais podem se mover durante um procedimento cirúrgico
  • – Transporte de células endometriais: o sistema linfático transporta células endometriais para várias partes do corpo
  • – Genética: pode haver um componente herdado. Uma mulher com um familiar próximo que tem endometriose é mais propensa a desenvolver a própria endometriose
  • – Hormônios: a endometriose é estimulada pelo hormônio estrogênio
  • – Sistema imune: problemas com o sistema imunológico podem prevenir a destruição do tecido endometrial extrauterino
  • – Metaplasia: a conversão do tecido pélvico normal em endometriose
Fatores de risco para endometriose

Qualquer um pode desenvolver endometriose, mas alguns fatores aumentam o risco. Esses incluem:

  • – Idade: é mais comum em mulheres de 30 a 40 anos
  • – Nuliparidade: nunca dar à luz
  • – Genética: um ou mais parentes com a condição
  • – História médica: ter uma infecção pélvica, anormalidades uterinas ou uma condição que previne a expulsão do sangue menstrual
  • – História menstrual: sangramento intenso durante períodos e períodos com duração superior a cinco dias. Ter regularmente menos de 27 dias entre os períodos, ou ciclos regulares mais curtos
  • – Cafeína, consumo de álcool e falta de exercício: podem aumentar os níveis de estrogênio
  • – Ter uma primeira gravidez em idade avançada
  • – Ter um primeiro período antes dos 11 anos de idade
  • – Baixo peso corporal.

Algumas condições de saúde têm sido associadas à endometriose. Estas incluem alergias, asma e algumas sensibilidades químicas, algumas doenças auto-imunes, síndrome da fadiga crônica e câncer de ovário e mama.

Pesquisadores também já encontraram ligações entre a endometriose e a exposição a determinados produtos químicos.

Endometriose exame

endometriose

Os exames para endometriose são:

  • – Exame vaginal e retal: seu ginecologista deve observar a vagina e o reto, caso ache necessário, pode apalpar à procura de cistos
  • – Exame de sangue: apesar de não ser específico para essa doença, pode ajudar, pois serve para verificar se há um aumento da substância CA125 no sangue, o que indica a endometriose
  • – Ultrassonografia transvaginal pélvica: este exame feito através da introdução de um transdutor de ultrassom pela vagina ajuda a observar a anatomia do sistema reprodutor feminino. Ele, geralmente, é feito quando os exames descritos acima deram positivos

Se você acha que tem endometriose, manter um diário de seus sintomas é uma boa maneira de ajudar o seu médico ou ginecologista a descobrir o que está errado. Seu médico pode fazer perguntas como parte do diagnóstico, por isso ter toda a informação pronta ajudará.

Endometriose é câncer?

Endometriose e o câncer se desenvolvem de forma muito semelhante, por isso, há uma dúvida em relação a essa questão. No entanto, a endometriose não é câncer. Apesar disto, estudos sugerem que mulheres com endometriose têm um maior risco de desenvolverem alguns tipos de câncer, como de ovário ou de endométrio.

Mas é sempre bom lembrar que o câncer surge após o crescimento desordenado de uma célula modificada, o que não ocorre na endometriose.

Quem tem endometriose pode engravidar?

Cerca de um terço das mulheres com endometriose tem problemas com fertilidade e dificuldade em engravidar. Isto é susceptível de afetar as mulheres de diferentes maneiras e pode criar uma montanha-russa de emoções. Uma vez grávida, muitas mulheres também se preocupam com o efeito de sua endometriose em sua gravidez e parto.

É importante lembrar que nem todas as mulheres com endometriose são inférteis. Muitas mulheres têm filhos sem dificuldade, têm filhos antes de serem diagnosticadas ou, eventualmente, têm uma gravidez bem sucedida.

Em muitos casos, os sintomas da endometriose parecem desaparecer com a gravidez. Acredita-se que isso ocorra porque os hormônios da gravidez fazem com que a endometriose se reduza. Após o nascimento do bebê, os efeitos da endometriose não são claros. Em um pequeno estudo de 23 mulheres, as lesões do endométrio pioraram nos primeiros três meses de gravidez, mas melhoraram à medida que a gravidez continuava.

Anticoncepcional para quem tem endometriose

As terapias hormonais podem ser usadas como tratamento para endometriose leve ou como terapia combinada, antes ou após a cirurgia, para a endometriose moderada a severa. As terapias hormonais visam reduzir a dor e a gravidade da endometriose.

A pílula contraceptiva oral é uma opção de terapia hormonal. Ela é tomada de forma contínua. Um melhor alívio da dor e cessação dos períodos ocorre com a ação da pílula. Você não precisa ser sexualmente ativo para tomar um anticoncepcional.

A pílula é usada para:

  • – Interromper seu período ou reduzir o número de períodos que você tem em um ano
  • – Fornecer um alívio a longo prazo da dor
  • – Retardar a progressão da endometriose

Endometriose engorda?

Essa doença pode sim aumentar o peso de uma mulher e isso está ligado ao tratamento feito com hormônios, que podem afetar o metabolismo da paciente.

Endometriose incha a barriga?

Em alguns casos a endometriose pode inchar a barriga e bastante, ao ponto da mulher parecer estar grávida. Isso ocorre, quando há hemorragia interna e a cavidade peritonial fica cheia de líquido inflamatório.

Endometriose tem cura?

endometriose

Existem muitas opções para gerenciar e tratar a endometriose, incluindo um estilo de vida saudável, medicamentos para alívio da dor, terapia hormonal, como a pílula contraceptiva oral e progestágenos. Também são discutidos diferentes tipos de cirurgia, incluindo laparoscopia, laparotomia e histerectomia.

O tratamento certo para você dependerá de seus sintomas, a gravidade da condição e se você está tentando engravidar ou manter a sua capacidade de ter filhos.

O tratamento da endometriose pode consistir de:

  • – Medicação para alívio da dor, como medicamentos anti-inflamatórios
  • – Medicação para evitar a progressão da doença
  • – Terapia hormonal, como a pílula anticoncepcional
  • – Cirurgias para retirar as áreas afetadas pela endometriose

Tratamento da endometriose com cirurgia

A cirurgia para endometriose visa eliminar a possível endometriose visível e reparar qualquer dano causado pela condição. A endometriose é vista como implantes (manchas de endometriose), cistos, nódulos, endometriomas (cistos de chocolate) e aderências.

Laparoscopia

A cirurgia laparoscópica, também chamada de videolaparoscopia (cirurgia de inserção de um telescópio fino com luz na cavidade abdominal) é uma operação para reduzir os sintomas e melhorar a fertilidade, removendo manchas endometrióticas, implantes, cistos, nódulos e aderências cortando-os ou queimando-os. Este é o método usual para a cirurgia de endometriose e serve para:

  • – Remover grandes cistos e endometriomas
  • – Remover um tubo de ovário ou ovário (Falópio)
  • – Reparar cirurgicamente quaisquer órgãos danificados

O preço de uma videolaparoscopia varia dependendo do tratamento a ser feito e pode ser de 5 a 15 mil reais, no entanto, o SUS também oferece a cirurgia.

A recuperação após esse procedimento pode variar de 1 semana a 30 dias. Durante a recuperação a mulher não deve fazer esforços como pegar peso, exercícios físicos, atividades domésticas, ter relações sexuais, dirigir e trabalhar. Só é permitido caminhadas leves e curtas, o importante é seguir as recomendações de seu médico.

Laparotomia

Uma laparotomia (uma operação aberta que requer um corte maior no abdômen inferior) é uma operação importante que pode ser realizada se a endometriose é severa e extensa. Também pode ser realizada se o ginecologista não for especializado em cirurgia laparoscópica avançada.

Histerectomia

Na endometriose grave recorrente de longo prazo associada a dor crônica que não respondeu a tratamentos ou cirurgias múltiplas, pode-se realizar uma histerectomia e salpingo-ooforectomia bilateral, que consiste na remoção do útero e dos ovários e das trompas de Falópio. Isso causa uma menopausa cirúrgica.

Às vezes, a cirurgia requerida pode incluir a remoção de partes do intestino ou bexiga contendo endometriose. Esta cirurgia complexa é geralmente realizada por um especialista em ginecologia laparoscópica que pode ser acompanhado por um especialista em cirurgia intestinal.

A histerectomia é recomendada raramente. É considerada apenas uma opção para as mulheres que não querem ter filhos, quando a qualidade de vida é significativamente prejudicada e quando todos os outros tratamentos falharam. A histerectomia pode não curar os sintomas ou a doença.

Se seus ovários são removidos por meio de cirurgia, a terapia de reposição hormonal (TRH), normalmente feita com estrógeno, irá prevenir ou reduzir os efeitos da menopausa precoce. No entanto, pode haver um pequeno risco de você ter uma persistência ou recorrência da endometriose por causa das pequenas quantidades de estrogênio tomadas ou absorvidas durante a terapia. Às vezes, terapia combinada é prescrita imediatamente após a cirurgia.

Remédio para endometriose

Os medicamentos comuns utilizados são anti-inflamatórios não esteroides, como aspirina, ibuprofeno e naproxeno. No entanto, se a dor persistir além de três meses, se você não conseguir tomar medicamentos, ou se você visitou um médico de clínica geral ou um hospital por dor três ou mais vezes em um período de seis meses, uma laparoscopia deve ser considerada.

Endometriose tem cura natural?

A endometriose não tem cura natural, mas existem alguns tratamentos que você pode fazer em casa para aliviar a dor. Você pode tentar combinar seu tratamentos médico com os seguintes:

Aplique calor na barriga

Use uma toalha aquecida, uma bolsa térmica em gel morna ou tome um banho morno. O calor melhora o fluxo sanguíneo e pode aliviar a dor pélvica.

Faça exercícios regularmente

O exercício físico melhora o fluxo sanguíneo e aumenta as endorfinas que aliviam a dor naturalmente.

Massagem pélvica

Massajar a área pélvica e a parte inferior do abdômen com um óleo essencial como lavanda ou sândalo ajudará muito a relaxar e aliviar a dor menor associada à endometriose.

Como fazer

  • – Deite na cama e estique o seu corpo.
  • – Esfregue um pouco de óleo essencial no estômago.
  • – Massageie suavemente em um padrão rotativo por 5 a 10 minutos.
  • – Faça isso uma vez por dia.
  • – Não faça esta massagem durante o seu ciclo menstrual.

Linhaça

As sementes de linhaça também são muito benéficas no tratamento da endometriose. Os ácidos graxos antioxidantes e o ômega-3 nas sementes de linhaça ajudam a diminuir o crescimento do tecido endometrial anormal. Além disso, as sementes de linhaça ajudam o corpo a eliminar toxinas nocivas.

Mergulhe três a quatro colheres de linhaça em um copo de água durante a noite e beba a água na manhã seguinte. Você também pode adicionar sementes de linhaça ao iogurte, smoothies, sopas e saladas.

Cúrcuma

Esta especiaria tem um componente natural conhecido como curcumina que tem fortes benefícios anti-inflamatórios e, portanto, pode ser usado para tratar a endometriose.

Coloque duas xícaras de água para ferver e adicione uma colher de cúrcuma e gengibre em pó e uma colher de sopa de mel e suco de limão. Beba esta solução uma vez por dia. Você também pode tomar cápsulas de cúrcuma (300 mg) três vezes ao dia.

Chá para endometriose

endometriose

Alguns chás também podem ser úteis para tratar esse problema, estes incluem:

Chá de camomila

A camomila tem propriedades anti-inflamatórias que ajudam a reduzir a inflamação, bem como o inchaço, muitas vezes associado à endometriose. Ela também atua como um diurético natural para ajudar a aliviar a bexiga.

Como fazer

  • – Coloque duas colheres de chá de camomila seca em uma xícara de água quente por cinco minutos
  • – Adicione um pouco de mel e beba de duas a três xícaras diariamente
  • – Você também pode tomar camomila sob a forma de cápsulas, mas apenas depois de consultar um médico

Chá de gengibre

O gengibre é uma forte erva anti-inflamatória que reduz a inflamação e alivia as cólicas menstruais. Também alivia a náusea que pode ocorrer na endometriose. Além disso, desempenha um papel importante na limpeza do fígado de excesso de toxinas.

Como fazer

  • – Misture uma colher de sopa de raiz de gengibre ralada em duas xícaras de água e deixe por 10 minutos
  • – Adicione mel e beba duas ou três xícaras diariamente
  • – Você pode até mastigar pedaços frescos de gengibre várias vezes ao dia para se recuperar rapidamente

Chá de dente de leão

Este chá é altamente recomendado para aliviar sintomas de endometriose. O dente de leão fortalece o fígado e os rins e também ajuda a regular os níveis hormonais.

Como fazer

  • – Coloque uma colher de chá de raiz seca de dente de leão em uma xícara
  • – Despeje a água quente no copo, cubra e deixe-o por 10 minutos
  • – Adicione mel para o gosto
  • – Beba este chá duas ou três vezes por dia

Como se prevenir?

Não há formas de prevenir a endometriose, pois sua causa pode estar ligada a genética. Fatores que podem reduzir o risco de obter endometriose são:

  • – Quantas crianças você tem. A chance de obter endometriose pode diminuir com cada gravidez (isso pode estar relacionado ao hormônio progesterona durante a gravidez)
  • – Idade mais nova da primeira gravidez
  • – Amamentação por um período mais longo
  • – Exercício regular de mais de quatro horas por semana (isso também pode ajudar com dor pélvica para endometriose)

Mais informações

Se você acha que tem endometriose, consulte o seu médico. É importante não demorar, pois o diagnóstico precoce e o tratamento podem reduzir a gravidade da doença. Também é importante saber que muitas mulheres muitas vezes não recebem um diagnóstico correto, porque os sintomas podem variar e mudar ao longo do tempo.

Este artigo te ajudou?
  • +1 curtiram
  • -1 não curtiram