O que é encefalite, quais seus sintomas e tratamentos

O que é encefalite, quais seus sintomas e tratamentos

A encefalite é uma patologia que está incluída no âmbito das patologias inflamatórias do sistema nervoso. Contrair inflamação do sistema nervoso central pode ter consequências graves que deixam sequelas permanentes e podem levar à morte. Por esta razão, é importante conhecer os sintomas da encefalite e o que fazer caso suspeite desse problema.

O que é encefalite?

Encefalite é uma inflamação do cérebro, a qual ocorre como um resultado da presença de um processo infeccioso. A causa, geralmente, é um vírus. O número de mortes pela doença vem caindo. Estima-se que a incidência da doença seja de 6 a 8 casos para 100 mil pessoas.

É uma doença que muitas vezes é difícil de diagnosticar. Isso ocorre porque na maioria das vezes a encefalite causa sintomas leves muito semelhantes à gripe ou um resfriado. No entanto, em uma pequena porcentagem dos pacientes com encefalite crônica, podem haver sintomas graves, como a manifestação de um dano cerebral significativo. Embora a mortalidade pela encefalite não é alta, muitas vezes deixa sequelas neurológicas após a doença.

Quais são as Causas da encefalite?

Existem várias causas dessa doença e muitas não são claramente entendidas. No entanto, sabe-se que a maioria dos casos é provocado por uma infecção viral. A encefalite também pode ser causada por infecções decorrentes de bactérias, parasitas, fungos e condições inflamatórias não infecciosas.

Esses vírus podem ser transmitidos de diferentes maneiras, alguns deles através do trato respiratório (tais como o vírus do sarampo), alguns pelo fecal-oral (tal como o vírus da poliomielite) e outros ainda sexualmente (tais como o vírus herpes simplex tipo 2). Os principais vírus que podem causar encefalite são:

  • – Sarampo
  • – Caxumba
  • – Poliomielite
  • – Hidrofobia
  • – Rubéola
  • – Varicela (Catapora)
  • – Adenovírus
  • – Coxsackievirus
  • – Citomegalovírus
  • – Vírus da encefalite equina oriental
  • – Echo vírus
  • – Vírus do Nilo ocidental

Ser infectado por qualquer um destes vírus não significa que você irá desenvolver uma encefalite. Na verdade, muitos desses vírus são conhecidos por doenças mais específicas. A ocorrência da encefalite depende muito de outros fatores como idade (jovens e idosos estão em maior risco) e o estado do sistema imunológico.

Muitos desses vírus podem ser prevenidos com a vacinação. Eles podem ser contraídos de várias formas, tais como:

  • – Inspiração de gotículas respiratórias de uma pessoa infectada
  • – Alimentos ou bebidas contaminadas
  • – Picadas de mosquitos, carrapatos ou outros insetos
  • – Contato com a pele

Outras causas da encefalite incluem:

  • – Reação alérgica a vacinas
  • – Doença autoimune
  • – Bactérias, como da doença de Lyme, Sífilis e tuberculose
  • – Parasitas como nematoides, cisticercose e toxoplasmose em pacientes que sofram de doenças que enfraqueçam o sistema imunológico, tais como a AIDS
  • – Efeitos colaterais do tratamento do câncer

Sintomas da encefalite

Os sintomas da encefalite mais parecem os sintomas da gripe. Geralmente ocorrem:

  • – Dor de cabeça que pode persistir por alguns dias
  • – Febre não muito alta
  • – Dor nas articulares e musculares
  • – Cansaço
  • – Perda de apetite

Às vezes, os sintomas são mais severos. Os mais comuns são:

  • – Dor de cabeça intensa
  • – Convulsões
  • – Perda de força muscular ou sensação
  • – Alucinações
  • – Caminhar descoordenado e cambaleante
  • – Confusão e desorientação
  • – Sonolência
  • – Irritabilidade ou pouco controle do humor
  • – Sensibilidade à luz
  • – Costas e pescoço rígidos
  • – Náuseas e vômitos

Sintomas em recém-nascidos e em bebês são mais difíceis de serem reconhecidos, eles podem incluir:

  • – Rigidez do corpo
  • – Irritabilidade e choro frequente, que podem piorar quando se pega o bebê no colo
  • – Falta de apetite
  • – Moleira mais saliente
  • – Vômito

Quais são os tipos de encefalite?

Como podemos ver, existem várias causas para essa doença e cada uma pode ter um nome específico, determinado por sua causa. Alguns deles são:

Encefalite letárgica

A encefalite letárgica ou doença do sono, causa sintomas atípicos e pode deixar uma pessoa paralisada, sem se mexer ou falar. Uma epidemia dessa tipo de encefalite se espalhou pelo mundo entre 1915 e 1926, após esses anos, somente casos isolados ainda ocorrem.

Além de deixar uma pessoa imóvel, a doença também provoca febre alta, dor de cabeça, dor de garganta, letargia, diplopia, resposta física e mental atrasadas, inversão do sono e catatonia. Quando os sintomas são mais severos, os pacientes podem entrar num estado de coma.

Outros sintomas que podem ocorrer incluem dores musculares, fraqueza da parte superior do corpo, parkinsonismo, movimentos oculares anormais, alterações no comportamento e psicose.

Ainda não é totalmente conhecida a causa da encefalite letárgica. Pesquisa sugerem que pode ser causada por uma reação imune. Outras evidências sugerem uma origem autoimune com anticorpos (IgG).

Encefalite japonesa

A encefalite Japonesa é causada por um vírus que pertence à família dos Flaviviridae. O vírus pode ser transmitido por mosquitos do gênero Culex, além de aves e porcos.

A doença é bastante comum em regiões tropicais do Sudeste Asiático e Índia. Países onde a doença está presente são Japão, China, Taiwan, Coreia, Filipinas, Índia, Paquistão, Sri Lanka, Myanmar, Laos, Vietnã, Malásia, Singapura e Indonésia.

Taxas de mortalidade por essa doença são bastantes altas, estando entre 15-40% dos casos. A maior parte dos pacientes não sofre sintomas, mas quando eles aparecem pode incluir febre, dor de cabela, congestão nasal, mialgia, diarreia, calafrios, vômito, diminuição da consciência e convulsões.

Não existem formas de tratamento específicos para a encefalite Japonesa, portanto, a prevenção da doença é muito importante. Fique atento às vacinas que precisa tomar ao viajar para lugares onde há casos da doença.

Encefalite hepática

A encefalopatia hepática, muitas vezes chamada de encefalite hepática, é causada por um mau funcionamento do cérebro devido a problemas no fígado como cirrose, insuficiência hepática ou um tumor.

Quando o fígado não funciona corretamente, substâncias tóxicas do sangue não são devidamente eliminadas do organismo e podem chegar ao cérebro ou ao sistema nervoso central, o que causa essa doença.

Os sintomas da encefalopatia hepática podem incluir sonolência, tremores, lentificação do pensamento, descoordenação motora, amarelamento da pele e olhos (icterícia), inchaço abdominal, mau hálito, problemas comportamentais e confusão mental.

As causas dessa doença estão relacionadas a hábitos que podem causar danos ao fígado, como abuso de álcool, consumo excessivo de proteínas, uso inadequado de medicamentos como os diuréticos, sangramento do esôfago, estômago ou intestino e doença renal, por exemplo.

O tratamento dessa doença consiste em identificar sua causa para tratá-la. Eliminar as possíveis causas de encefalopatia hepática, que estão descritas acima, também é importante.

Encefalite de Hashimoto

A encefalopatia de Hashimoto ou encefalite de Hashimoto, é uma condição rara. Ela também pode ser denominada como encefalopatia respondedora aos corticoides associada a tiroidite autoimune.

A doença é considerada autoimune, pois o corpo reconhece a glândula tireoide como um tecido estranho e começa a atacá-la. Isso provoca uma inflamação da glândula tireoide, que por vezes leva ao hipotireoidismo.

Seus sintomas podem causar dor de cabela aguda, tremor, mioclonia, ataxia, ataques, psicose ou acidentes vasculares cerebrais progressivos ou recidivantes, elevados de anticorpos anti-tireoides no organismo, demência e sintomas psiquiátricos.

O tratamento para encefalopatia de Hashimoto é feito com o uso de imunossupressores, principalmente corticosteroides, como a prednisolona. No entanto, assim como outras doenças autoimunes, pode ocorrer a melhora de maneira espontânea.

A maior parte dos pacientes volta a seu estado neurológico normal. Mas em certos casos, alguns sintomas como tremores e perda de memória podem persistir.

Encefalite espongiforme

A encefalite espongiforme afeta principalmente animais bovinos e é conhecida popularmente como “doença da vaca louca”. Ela é causada por um agente infeccioso chamado prion, que deriva de uma proteína da membrana de células nervosas e que quando é alterada, causa a degeneração crônica do sistema nervoso central dos animais.

Essa doença também pode afetar os seres humanos e há evidências de que uma variante da doença, possa ser provocada devido ao do consumo de produtos de bovinos infectados com a encefalite espongiforme.

Diagnóstico da encefalite

O diagnóstico precoce da encefalite é essencial para um tratamento específico, se houver, e para controlar os sintomas para evitar danos cerebrais graves. O mais importante para o diagnóstico desta patologia são os sintomas clínicos aparentes, o que pode ajudar o médico a suspeitar da doença. Para fazer isso, o médico irá realizar uma entrevista clínica e exame físico do paciente, e na maioria dos casos, também com os parentes mais próximos.

No exame físico, o médico deverá buscar sinais como:

  • – Reflexos anormais
  • – Aumento da pressão intracraniana
  • – Confusão mental
  • – Úlceras na boca
  • – Fraqueza muscular
  • – Rigidez do pescoço
  • – Sinais em outros órgãos, como fígado e pulmões
  • – Erupções cutâneas
  • – Problemas na fala

Entre os testes adicionais que podem ser realizados para diagnosticar a encefalite, o mais importante é a punção lombar. Nesse teste é obtido o fluido espinal (o fluido que lubrifica o cérebro), que pode ser analisado em laboratório para verificar alterações características da infecção viral.

Outros importantes testes para encefalite são feitos a partir da imagiologia do sistema nervoso central, tais como a tomografia computadorizada e ressonância magnética. A tomografia computadorizada deve sempre ser realizada antes de uma punção lombar para verificar que não há grandes danos internos e a punção pode ser bem realizada.

Um teste também útil é o electroencefalograma, que permite saber se existe é o dano da atividade eléctrica do cérebro e estima a probabilidade desse dano se tornar uma epilepsia futuramente.

Encefalite tem cura?

O tratamento ideal de encefalite deve atender a três pontos fundamentais: controlar os sintomas, eliminar o vírus do sistema nervoso, e prevenir o aparecimento de sequelas neurológicas permanentes.

  • Controle dos sintomas: medidas gerais são permanecer deitado com a cabeceira da cama elevada, ter boa alimentação e beber bastante de fluidos, que ajuda muito a melhorar o desconforto geral e dores de cabeça e nas articulações. São usados muito frequentemente analgésicos e anti-inflamatórios (como o paracetamol ou ibuprofeno) para reduzir a febre e aliviar a dor. Os corticosteroides são também usados em todos os casos, uma vez que ajudam a reduzir o inchaço do cérebro e que diminuem diretamente a probabilidade de ocorrência de sequelas. Medicamentos anticonvulsivos para prevenir convulsões e sedativos para aliviar a irritabilidade ou insônia, também podem ser usados.
  • Remoção de Vírus: nem todos os vírus têm um tratamento específico. Somente os vírus da família do herpes podem ser alvo de medicamentos antivirais. O aciclovir pode ser usado, o qual também é indicado em casos de varicela em adultos, ou para prevenir o herpes genital. Nos últimos anos tem sido estudadas novas drogas mais poderosas e graças ao grande investimento em pesquisas, em breve novas drogas antivirais estarão disponíveis.
  • Prevenir sequelas permanentes: sequelas podem ser evitadas com o tratamento precoce em todas as frentes. Assim que os sintomas da encefalite são concluídos por testes para ver se o dano residual foi realmente no cérebro, os tratamentos podem incluir:
  • – Terapia da fala: pode restaurar a fala, a escrita ou a compreensão de uma linguagem particular
  • – Terapia física: consiste de exercícios físicos para melhorar a resistência muscular, mobilidade e coordenação
  • – Terapia ocupacional: melhora várias capacidades neurológicas através da realização de atividades diárias

Complicações

As piores complicações dessa doença ocorrem quando há sequelas neurológicas imprevisíveis. Na maioria das vezes vias neurais responsáveis pela força muscular são danificadas, resultando em paralisia parcial, ou lesões cerebrais específicas.

Casos mais graves podem causar retardo mental, paralisia total ou doenças neurológicas mais complexas, como a doença de Parkinson, por exemplo.

Prevenção

A prevenção da encefalite viral é feita tomando medidas básicas para impedir qualquer outra doença viral. Geralmente estas dicas para prevenir o aparecimento desta infecção:

  • – Respeitar as medidas de higiene: lavar as mãos antes de comer ou após ir ao banheiro e não compartilhar utensílios de comer, são alguns deles
  • – Lavar frutas e legumes antes de comê-los, com água e duas gotas de água sanitária
  • – Fazer sexo com preservativo
  • – Tomar as vacinadas dos vírus que mais frequentemente causam esta doença
  • – Se proteger de picadas de mosquito em locais de risco, usando mangas compridas, repelente de insetos, mosquiteiros, etc

Mais informações

A encefalite é causada por uma inflamação do cérebro e pode ser fatal. Os sintomas dessa condição podem não existir, mas se estiverem presentes, é importante procurar ajuda médica urgente para iniciar o tratamento e impedir complicações como danos cerebrais.

Este artigo te ajudou?
  • +5 curtiram
  • -3 não curtiram