O que é codeína e para que serve

O que é codeína e para que serve

A codeína é um analgésico derivado do ópio, usada principalmente para o alívio da dor moderada e antitussígeno de ação central que bloqueia o reflexo da tosse seca. Além disso, a codeína pode estar presente em outros medicamentos como o paracetamol como fosfato de codeína por exemplo.

Codeína preço

Você pode encontrar esse medicamento na farmácia com os nomes de Codein, Belacodid, Codaten e Codex. O preço da codein 30mg é de aproximadamente 25 a 35 reais.

Posologia

O que é codeína e para que serve

Administração oral para adultos:

  • – A dosagem para adultos é usualmente de 30 mg (de 15 a 60 mg), a cada 4 ou 6 horas, para obtenção do efeito analgésico.
  • – O limite de administração é de até 360 mg/dia.

Administração oral para crianças:

  • – Não é recomendado o uso de codeína para obtenção analgésica em criança prematura ou recém-nascido.
  • – Para crianças maiores a dose deve ser de 0,5 mg/kg/peso corporal ou 15 mg/m² de superfície corporal a cada 4 a 6 horas, para obtenção de ação analgésica.

*A super dosagem deste medicamento pode causar depressão respiratória, sonolência, erupção na pele, vômitos, coceira, inchaço da pele.

Uso da codeína em grupos de risco

O que é codeína e para que serve

  • – Criança com até 1 ano são mais vulneráveis aos efeitos, principalmente os de depressão respiratória.
  • – No caso de idosos o mesmo ocorre, pois metabolizam e eliminam o medicamento de forma mais lenta.

*Para esses pacientes recomenda-se administrar baixas doses ou longo intervalo entre as doses.
*Pacientes idosos geralmente com hipertrofia ou obstrução prostática e enfraquecimento da função renal, apresentam retenção urinária quando fazem uso de analgésico opioide.

Contraindicações da codeína

  • – Em casos de diarreia associada a colite-pseudomembranosa causada por cefalosporina, lincomicina ou penicilina.
  • – Diarreia que é causada por envenenamento já que a codeína diminui a eliminação de materiais tóxicos, prolongando a diarreia.
  • – A pacientes alérgicos a opioides como a codeína.
  • – Nos casos de depressão respiratória, especialmente em presença de cianose e excessiva secreção brônquica.
  • – Em casos de dependência de drogas, inclusive ao álcool; instabilidade emocional ou tentativa de suicídio, arritmia cardíaca, função hepática, condições onde há o aumento da pressão intracraniana, convulsão, inflamação intestinal, hipotireoidismo, hipertrofia ou obstrução prostática, cirurgia recente do trato intestinal ou urinário.

O que fazer em casos de esquecimento da dose?

Se esquecer de tomar uma única dose de codeína, tome-a assim que se lembrar; no entanto se estiver próximo do horário da próxima dose, você deve simplesmente tomar o próximo comprimido no horário usual. Não exceda a dosagem recomendada para compensar o comprimido esquecido.

Superdosagem de codeína

O que é codeína e para que serve

O sinal característico de superdose é a extrema depressão respiratória. Os sintomas são bastantes parecidos à intoxicação por morfina, variando de muita sonolência até o estupor (imobilidade) e coma, normalmente combinado com miose (constrição da pupila), muitas vezes com cefaleia, vômitos, retenção urinária e fecal. Pode ocorrer hipóxia (falta de oxigênio nos tecidos do corpo), perda de tônus do músculo esquelético e arreflexia (falta de reflexos), cianose (descoloração azulada ou púrpura da pele e mucosas), por vezes queda na pressão sanguínea e bradicardia (diminuição na frequência das batidas do coração), eventualmente, sobretudo em crianças, convulsões sem sintomas adicionais.

A conduta para intoxicação aguda com AINEs, incluindo diclofenaco, consiste essencialmente em medidas de suporte e tratamento sintomático, que devem ser dados para complicações como hipotensão, insuficiência renal, convulsões, distúrbio gastrintestinal e depressão respiratória.

Mais informações

  • – A codeína pode ser usada no tratamento da tosse, pois age reduzindo o reflexo da tosse, através da diminuição da excitabilidade do centro da tosse.
  • – A codeína é um opioide fraco e geralmente não induz vício, mas é aconselhável cuidado especial no caso de tratamentos longos. A retirada deve ser feita lentamente e cuidadosamente monitorada.

Este artigo te ajudou?
  • 0 curtiram
  • 0 não curtiram