8 maneiras de tratar e prevenir a depressão pós parto naturalmente

Rudney Dicas Saúde, Tratamentos 30-12-16 depressão pós parto comentários

A gravidez pode ser um dos momentos mais felizes na vida de uma mulher, mas depois que o bebê nasce, muitas mudanças ocorrem no corpo de uma nova mãe. A depressão pós parto é um problema que algumas mulheres têm de lidar.

A depressão pós parto, também conhecida como DPP, é um tipo de depressão que ocorre em mães novas após o parto. Uma combinação de fatores biológicos e emocionais podem levar a esse problema.

Os níveis de estrogênio e progesterona no corpo flutuam dramaticamente após o parto. Estes hormônios estão ligados com neurotransmissores que afetam o humor de uma pessoa e as flutuações químicas podem aumentar o risco de depressão pós parto.

De acordo com o Instituto Nacional de Saúde Mental, a depressão pós parto ocorre em quase 15% dos nascimentos. Pode começar pouco antes ou até um ano depois do parto. No entanto, geralmente começa entre uma semana e um mês após.

Os principais sintomas da depressão pós parto incluem sentimentos de opressão, intensa ansiedade, choro frequente, irritabilidade ou raiva, tristeza, fadiga, sentimentos de inutilidade, alterações no sono ou hábitos alimentares, falta de concentração e intensa preocupação com o bebê ou a falta de interesse no recém-nascido.

Ela também pode causar sintomas físicos, tais como dores de cabeça, dores no peito ou hiperventilação. Como a depressão prolongada pode ser prejudicial para a saúde da nova mãe e seu filho, é importante consultar um médico imediatamente se você está enfrentando esses sintomas.

Dicas para tratar a depressão pós parto

1 – Vitamina D

A vitamina D é um nutriente essencial que é importante para a saúde mental. Esta vitamina ajuda na produção de serotonina, o hormônio cerebral associado com a elevação do humor e felicidade. Um nível adequado de serotonina ajuda a prevenir e tratar a depressão pós parto.

Durante a gravidez, com as exigências colocadas sobre o corpo pelo feto, há um risco aumentado de deficiência de vitamina D.

Um estudo de 2010 publicado no Journal of American Psychiatry Nurses Association, mostra uma relação significativa ao longo do tempo entre os níveis baixos de vitamina D e um indicativo de depressão pós parto.

Um estudo publicado em 2015 no Journal of Pharmacy Technology, sugere uma possível correlação entre os níveis de vitamina D na gravidez e a depressão pós parto. As mulheres com fatores de risco para este tipo de depressão devem tentar manter níveis normais de vitamina D. No entanto, mais pesquisas são necessárias para determinar o benefício da suplementação de vitamina D na prevenção.

À medida que a forma ativa da vitamina D é produzida pelo corpo como um subproduto da exposição ao sol, é importante passar um tempo no sol, especialmente durante a manhã, pelo menos 15 a 20 minutos por dia.

2 – Alimentos ricos em ômega 3

Ácidos graxos ômega 3 são nutrientes vitais para um grande número de funções celulares. Estes ácidos são um componente chave nas membranas celulares, que ajudam o bom funcionamento da serotonina. A serotonina é importante para levar mensagens para as células do cérebro para manter um humor positivo. Ácidos graxos ômega 3 também desempenham um papel fundamental no desenvolvimento e funcionamento do sistema nervoso central.

Um estudo de 2011 publicado na BMC Pregnancy and Childbirth informa que comer peixe ou outros alimentos ricos em ácidos graxos ômega 3 ​​durante a gravidez pode ajudar a diminuir o risco de desenvolver sintomas comumente vistos na depressão pós parto.

Um estudo de 2014 publicado na Behavioral Brain Research sugere que o óleo de peixe, rico em ômega 3, exerce efeito benéfico sobre a depressão pós parto e diminui os biomarcadores relacionados à depressão, como a corticosterona e as citocinas pró-inflamatórias.

Para garantir uma ingestão adequada de ácidos graxos ômega 3, coma mais linhaça, peixes como salmão e sardinha, nozes e azeite de oliva. Você também pode tomar um suplemento de ácidos graxos ômega 3, depois de consultar o seu médico.

3 – Amamentação

Novas mães diagnosticadas com depressão pós parto precisam de um apego emocional seguro com seus recém-nascidos. As crianças também precisam deste apego seguro com suas mães. Este vínculo emocional não-verbal auxilia na liberação de endorfinas que fazem as mães se sentirem mais felizes e mais confiantes como mãe.

Para construir este forte vínculo emocional, a amamentação é a melhor opção. No entanto, as mães com depressão pós parto podem ser menos propensas a amamentar. Assim, torna-se importante para o parceiro ou outros membros da família ajudar as mamães a compreender a importância da amamentação.

Um estudo de 2012 publicado no International Journal of Psychiatry, indica que mulheres que amamentam seus bebês reduziram o seu risco de desenvolver depressão pós parto.

Um recente estudo de 2016 publicado no CMAJ Open relata que a qualidade do apoio e o aleitamento materno é importante não apenas para a promoção da amamentação, mas também para a saúde mental materna.

4 – Terapia de conversa

Na terapia da fala, um profissional de saúde mental (um conselheiro, terapeuta, psicólogo, psiquiatra ou assistente social) conversa com a mulher que sofre de depressão pós parto.

Isso permite que a nova mãe compartilhe todos os seus medos e emoções em confiança com alguém fora do seu círculo de familiar e amigável. Através da terapia, a nova mãe torna-se pronta para aceitar a nova responsabilidade da maternidade de uma maneira muito melhor.

Dois tipos de aconselhamento são muito eficazes no tratamento da depressão pós parto. Estas são a terapia cognitiva-comportamental (TCC) e terapia interpessoal (ITP).

5 – Massagens relaxantes

Uma massagem calmante e quente é uma das melhores maneiras de mimar um corpo deprimido. Massagem não só rejuvenesce um corpo deprimido, mas também enche-o com energia renovada, que é importante, pois sendo mãe você tem uma nova responsabilidade de cuidar de seu bebê recém-nascido.

Ela ainda ajuda a livrar de todos os sentimentos e pensamentos negativos, bem como desempenha um papel fundamental no controle da dor física e os impactos do estresse.

A massagem pós parto tem outros benefícios incluindo a regulação hormonal, inchaço reduzido, melhor sono e amamentação melhorada. Ela ainda ajuda as mães deprimidas a se relacionarem melhor com seus recém-nascidos.

6 – Acupuntura

Outra maneira significativa de lidar com a depressão pós parto é a terapia de acupuntura. Nesta terapia, agulhas finas são inseridas em pontos de pressão vital específicos no corpo. Ela ajuda a manter o equilíbrio dos vários hormônios no corpo.

Pode até dar à mãe um impulso de energia para repor a energia esgotada durante o parto. Além disso, ajuda a tratar a dor e melhorar a função da tireoide. A acupuntura também parece ser uma maneira eficaz de reduzir os sintomas de depressão durante a gravidez.

Um estudo de 2010 publicado em Obstetrics & Gynecology, relata que a terapia regular de acupuntura pode ser uma opção de tratamento viável para a depressão durante a gravidez.

Outro estudo de 2012 publicado no Journal of Affective Disorders, descobriu que tanto a eletroacupuntura como a acupuntura simulada não-invasiva eram eficazes para a depressão pós parto.

7 – Dormir e descansar adequadamente

O sono é altamente essencial para uma nova mãe. Um total de oito horas pode parecer impossível quando você está lidando com um recém-nascido, mas a falta de sono faz a depressão piorar.

O sono ruim leva a alterações significativas no funcionamento do neurotransmissor cerebral, que é uma das razões por trás da depressão.

Um estudo de 2009 constatou que o sono ruim estava associado à depressão, independentemente de outros fatores de risco. Durante a gravidez e o período pós parto, é importante recuperar o atraso no sono com sonecas. Você também pode pedir ao seu parceiro para ajudar com o trabalho noturno.

8 – Exercício físico

Exercício é tão eficaz como a medicação quando se trata de tratar a depressão. Assim, após o parto, quanto mais cedo você voltar e se mover, melhor.

Não há necessidade de programas de treino intensos. Apenas andar 30 minutos a pé a cada dia vai fazer maravilhas. Você também pode levar seu bebê junto em um carrinho. Exercícios de alongamento e de ioga também são especialmente úteis para você voltar em forma.

Um estudo de 2007 publicado no Journal of Midwifery & Women’s Health destaca o papel do exercício no tratamento da depressão pós parto, e mostrou que o exercício tem efeitos antidepressivos sobre as pessoas que sofrem da condição.

Um estudo de 2009 publicado no Journal of Psychosomatic Obstetrics and Gynecology diz que o exercício pode ajudar a aliviar o humor depressivo pós parto.

Dicas adicionais

– Aprenda a se relacionar com seu bebê. Quanto maior a conexão emocional que você tem com seu bebê, menor a chance de ficar deprimida.
– A maternidade não é um trabalho fácil. Não hesite em se apoiar nos outros para obter ajuda e apoio.
– Faça dos seus relacionamentos uma prioridade. Durante tempos difíceis, relacionamentos fortes a ajudarão a superar a situação.
– Não mantenha seus sentimentos para si mesma. Compartilhe o que você está experimentando, seja bom ou ruim, com seu parceiro ou qualquer outra pessoa com quem você se sinta confortável.
– Faça de você e seu bebê a prioridade e não se preocupe muito com as tarefas domésticas.
– Para evitar a depressão pós parto, tome tempo para cuidar de si mesma. Quanto mais você cuidar de seu bem-estar mental e físico, melhor você vai se sentir.
– Faça das refeições uma prioridade e não se esqueça de seguir uma dieta bem equilibrada.
– Tenha tempo para seu relacionamento com seu parceiro.
– Ouça uma variedade de músicas.
– Mantenha um diário para expressar seus pensamentos e sentimentos, escrevendo-os.
– Em casos graves de depressão pós parto, os antidepressivos podem ser uma opção. No entanto, a medicação deve ser tomada apenas sob a orientação de um médico.

Mais informações

A depressão pós parto é um problema sério que merece muita atenção. O tratamento o quanto antes é importante tanto para o bebê, que precisa da mãe, quanto para a jovem grávida para evitar complicações à saúde.

Este Post te ajudou?
  
    Deixe sua opinião:
    Posts Relacionados:
    Contador de Visitas